Gabinete dos Antigos Combatentes controla 25 mil pensionistas

  • Deposição de coroa de flores no túmulo do soldado desconhecido
Luanda - Vinte e cinco mil pensionistas, entre ex-militares, viúvas e órfãos, estão inscritos na base de dados do Gabinete Provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, na província de Luanda.

De Janeiro a Dezembro de 2020, foram reintegrados mil 325 novos pensionistas que beneficiam de alguns apoios, como cestas básicas e formações técnico-profissionais, para melhorar a sua qualidade de vida, disse o director do referido gabinete na capital do país, Baptista Correia.

O responsável apresentou estes dados à imprensa depois da homenagem a antigos combatentes e veterano da pátria, com a deposição de uma coroa de flores no monumento do soldado desconhecido, acto dirigido pela governadora de Luanda, Joana Lina.

Esclareceu que os antigo combatentes, viúvas e órfãos têm direito à pensão, consulta médica em hospitais de referência e isenção de impostos para os que trabalham na função pública.

Baptista Correia reconheceu que a situação socio-económica desse grupo social é crítica, porquanto entende que o mesmo necessita de atenção, pois grande parte carece de habitação, emprego e formação para os  filhos.

Anunciou a realização, no segundo trimestre deste ano, de recenseamento e cadastramento de ex-militares e veteranos da pátria, para a sua protecção e controlo.

Sexta-feira, 15 de Janeiro, assinalou-se o Dia do Antigo Combatente e Veterano da Pátria, instituído em 2012, para conferir dignidade a essa franja da população, que lutou para a conquista da independência nacional e a preservação da paz.


 

De Janeiro a Dezembro de 2020, foram reintegrados mil 325 novos pensionistas que beneficiam de alguns apoios, como cestas básicas e formações técnico-profissionais, para melhorar a sua qualidade de vida, disse o director do referido gabinete na capital do país, Baptista Correia.

O responsável apresentou estes dados à imprensa depois da homenagem a antigos combatentes e veterano da pátria, com a deposição de uma coroa de flores no monumento do soldado desconhecido, acto dirigido pela governadora de Luanda, Joana Lina.

Esclareceu que os antigo combatentes, viúvas e órfãos têm direito à pensão, consulta médica em hospitais de referência e isenção de impostos para os que trabalham na função pública.

Baptista Correia reconheceu que a situação socio-económica desse grupo social é crítica, porquanto entende que o mesmo necessita de atenção, pois grande parte carece de habitação, emprego e formação para os  filhos.

Anunciou a realização, no segundo trimestre deste ano, de recenseamento e cadastramento de ex-militares e veteranos da pátria, para a sua protecção e controlo.

Sexta-feira, 15 de Janeiro, assinalou-se o Dia do Antigo Combatente e Veterano da Pátria, instituído em 2012, para conferir dignidade a essa franja da população, que lutou para a conquista da independência nacional e a preservação da paz.