Governador cria grupo técnico para apoiar divisão político-administrativa do Moxico

  • Gonçalves Muandumba, Governador da Província do Moxico
Luena - O governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, criou quinta-feira um Grupo Técnico Multissetorial para apoiar o processo de alteração da divisão político-administrativa da província.

De acordo com o despacho do governador provincial, a que a Angop teve acesso esta sexta-feira, a referida comissão deve, entre outras tarefas, propor os limites territoriais do Moxico com as províncias com as quais faz fronteira e com as repúblicas Democrática do Congo (RDC) e da Zâmbia.

A comissão, segundo o documento, deve inventariar os equipamentos administrativos, económicos e sociais mais relevantes da província, os principais investimentos públicos em curso e em preparação, bem como fazer o levantamento dos recursos humanos afectos ao funcionalismo público.

O grupo técnico vai, ainda, preparar a proposta de orçamento e do Programa de Investimento Público para o ano de 2022, bem como propor outras medidas necessárias à efectivação da divisão político-administrativa e a instalação dos órgãos da Administração Local do Estado.

A comissão será coordenada pelo vice-governador para o sector Político, Social e Económico, Victor da Silva, que vai ser auxiliado pelo delegado do Ministério do Interior, entre outros responsáveis.

O Presidente da República, João Lourenço, criou, no dia sete de Julho deste ano, uma Comissão Multissectorial para alteração da divisão político-administrativa de Angola.

No seu despacho, o Chefe de Estado aponta as províncias do Cuando Cubango, Lunda Norte, Malanje, Moxico e do Uíge a serem abrangidas pelas alterações, que visam criar maior aproximação entre as entidades administrativas e os cidadãos, assim como uma gestão mais justa e equilibrada do território nacional.

A província do Moxico é a maior de Angola em termos de extensão territorial, com uma área total de 223 023 km², ocupando 16 por cento do território angolano, habitado por 854 mil 258 pessoas, segundo projecções de 2018, feitas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Possui nove municípios, com o Alto Zambeze o mais afastado do Luena, cidade capital, num percurso de 519 quilómetros, e o Camanongue, com 52 quilómetros, o mais próximo.

De acordo com o despacho do governador provincial, a que a Angop teve acesso esta sexta-feira, a referida comissão deve, entre outras tarefas, propor os limites territoriais do Moxico com as províncias com as quais faz fronteira e com as repúblicas Democrática do Congo (RDC) e da Zâmbia.

A comissão, segundo o documento, deve inventariar os equipamentos administrativos, económicos e sociais mais relevantes da província, os principais investimentos públicos em curso e em preparação, bem como fazer o levantamento dos recursos humanos afectos ao funcionalismo público.

O grupo técnico vai, ainda, preparar a proposta de orçamento e do Programa de Investimento Público para o ano de 2022, bem como propor outras medidas necessárias à efectivação da divisão político-administrativa e a instalação dos órgãos da Administração Local do Estado.

A comissão será coordenada pelo vice-governador para o sector Político, Social e Económico, Victor da Silva, que vai ser auxiliado pelo delegado do Ministério do Interior, entre outros responsáveis.

O Presidente da República, João Lourenço, criou, no dia sete de Julho deste ano, uma Comissão Multissectorial para alteração da divisão político-administrativa de Angola.

No seu despacho, o Chefe de Estado aponta as províncias do Cuando Cubango, Lunda Norte, Malanje, Moxico e do Uíge a serem abrangidas pelas alterações, que visam criar maior aproximação entre as entidades administrativas e os cidadãos, assim como uma gestão mais justa e equilibrada do território nacional.

A província do Moxico é a maior de Angola em termos de extensão territorial, com uma área total de 223 023 km², ocupando 16 por cento do território angolano, habitado por 854 mil 258 pessoas, segundo projecções de 2018, feitas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Possui nove municípios, com o Alto Zambeze o mais afastado do Luena, cidade capital, num percurso de 519 quilómetros, e o Camanongue, com 52 quilómetros, o mais próximo.