Governador pede mais atenção aos crimes contra património público

  • Huíla: Governador Nuno Mahapi
Lubango - O governador da Huíla, Nuno Mahapi, apelou hoje, terça-feira, no Lubango, aos órgãos de justiça a prestar “particular atenção” aos crimes contra os bens públicos, que têm aumentado nos últimos tempos.

O responsável, que falava durante a apresentação de oito novos magistrados do Ministério Público (MP), disse que é necessário agir com “seriedade e rigor” em relação às pessoas que comentam esses crimes.

“Os operadores de justiça devem redobrar esforços no sentido de cumprir com os seus deveres em prol do bem-estar da sociedade e podem sempre contar com a colaboração institucional do governo da Huíla”, reforçou.

Declarou que, no quadro das políticas públicas, o governo da Huíla deu a merecida prioridade ao processo de construção e consolidação do Estado Democrático de Direito, com a instalação da Procuradoria Regional Sul e o Tribunal da Relação do Lubango, que faz parte de um projecto que visa conferir maior dignidade ao sector.

Já o sub-procurador da República titular da Huíla, Gabriel Custódio, informou que correm 210 processos de natureza económica e financeira, pelo que o início das funções de novos procuradores trará maior celeridade.

Com a apresentação de novos procuradores, detalhou que vão ser movimentados alguns que exercem funções nos municípios de Caconda, Caluquembe, Matala e Gambos para reforçar a sala criminal e de família do Tribunal de Comarca do Lubango, bem como o Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Já o procurador-geral adjunto da República acompanhante e coordenador da Região Judiciária Sul, Hernâni Beira Grande, reforçou que pretende-se levar os serviços do Ministério Público cada vez mais próximos das comunidades, sendo que o próximo passo será abertura da procuradoria no município da Chicomba.

 

O responsável, que falava durante a apresentação de oito novos magistrados do Ministério Público (MP), disse que é necessário agir com “seriedade e rigor” em relação às pessoas que comentam esses crimes.

“Os operadores de justiça devem redobrar esforços no sentido de cumprir com os seus deveres em prol do bem-estar da sociedade e podem sempre contar com a colaboração institucional do governo da Huíla”, reforçou.

Declarou que, no quadro das políticas públicas, o governo da Huíla deu a merecida prioridade ao processo de construção e consolidação do Estado Democrático de Direito, com a instalação da Procuradoria Regional Sul e o Tribunal da Relação do Lubango, que faz parte de um projecto que visa conferir maior dignidade ao sector.

Já o sub-procurador da República titular da Huíla, Gabriel Custódio, informou que correm 210 processos de natureza económica e financeira, pelo que o início das funções de novos procuradores trará maior celeridade.

Com a apresentação de novos procuradores, detalhou que vão ser movimentados alguns que exercem funções nos municípios de Caconda, Caluquembe, Matala e Gambos para reforçar a sala criminal e de família do Tribunal de Comarca do Lubango, bem como o Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Já o procurador-geral adjunto da República acompanhante e coordenador da Região Judiciária Sul, Hernâni Beira Grande, reforçou que pretende-se levar os serviços do Ministério Público cada vez mais próximos das comunidades, sendo que o próximo passo será abertura da procuradoria no município da Chicomba.