Governadora augura momentos áureos para a província

  • Governadora Provincial do Cunene, Gerdina Didalelwa
Cunene - A governadora provincial do Cunene, Gerdina Didalelwa, regozijou hoje, sábado, em Ondjiva, com a pronta intervenção do Executivo em responder com medidas assertivas ao problema da seca na região, determinantes para impulsionador para desenvolvimento nos próximos anos.

Em declarações à imprensa, no final da visita do Presidente da República, João Lourenço, que veio à região para delinear estratégias de combate, em  definitivo, da seca, realçou o facto de o Executivo ter mobilizado recursos financeiros para a implementação dos projectos estruturantes neste domínio.

A governadora sublinhou ainda o anúncio, fora das previsões locais, de mais um projecto que tem a ver com a construção do sistema de transferência de água para as regiões localizadas na margem direita do Rio Cunene, que se junta aos três projectos estruturantes aprovados em 2019.

Por isso, Gernida Didalelwa considerou “muito proveitosa” a jornada de trabalho do Presidente da República no Cunene, na medida em que foram definidas acções pragmáticas para o combate à seca, que afecta mais de 500 mil pessoas.

 “Foi uma grande surpresa pela positiva, principalmente pelo facto de as populações que sofrem deste mal nos municípios da Cahama e Curoca terem sido também abrangidas”, realçou.

Segundo a responsável, o Chefe de Estado também deixou uma esperança para se ultrapassar o problema da falta de uma universidade a nível local.

Após ouvir as necessidades da região, o Presidente João Lourenço anunciou o início, em Outubro próximo, da construção das barragens de Calucuve e de Ndúe, bem como a recuperação de diques e açudes no município do Curoca, a 334 quilómetros da cidade de Ondjiva, no âmbito dos projectos estruturantes para combater a seca na região.

Para o combate efectivo da seca, o Titular do Poder Executivo revelou também o início,  no próximo ano, do projecto de transferência de águas para regiões localizadas na margem direita do Rio Cunene, nomeadamente as sedes municipais de Cahama, Oncocua e Chitado (município do Curoca), assim como a reabilitação da repreza da Cova do Leão.

 

 

Em declarações à imprensa, no final da visita do Presidente da República, João Lourenço, que veio à região para delinear estratégias de combate, em  definitivo, da seca, realçou o facto de o Executivo ter mobilizado recursos financeiros para a implementação dos projectos estruturantes neste domínio.

A governadora sublinhou ainda o anúncio, fora das previsões locais, de mais um projecto que tem a ver com a construção do sistema de transferência de água para as regiões localizadas na margem direita do Rio Cunene, que se junta aos três projectos estruturantes aprovados em 2019.

Por isso, Gernida Didalelwa considerou “muito proveitosa” a jornada de trabalho do Presidente da República no Cunene, na medida em que foram definidas acções pragmáticas para o combate à seca, que afecta mais de 500 mil pessoas.

 “Foi uma grande surpresa pela positiva, principalmente pelo facto de as populações que sofrem deste mal nos municípios da Cahama e Curoca terem sido também abrangidas”, realçou.

Segundo a responsável, o Chefe de Estado também deixou uma esperança para se ultrapassar o problema da falta de uma universidade a nível local.

Após ouvir as necessidades da região, o Presidente João Lourenço anunciou o início, em Outubro próximo, da construção das barragens de Calucuve e de Ndúe, bem como a recuperação de diques e açudes no município do Curoca, a 334 quilómetros da cidade de Ondjiva, no âmbito dos projectos estruturantes para combater a seca na região.

Para o combate efectivo da seca, o Titular do Poder Executivo revelou também o início,  no próximo ano, do projecto de transferência de águas para regiões localizadas na margem direita do Rio Cunene, nomeadamente as sedes municipais de Cahama, Oncocua e Chitado (município do Curoca), assim como a reabilitação da repreza da Cova do Leão.