Governadora de Luanda homenageia Fundador da Nação

  • Içar da bandeira no dia do Fundador e Herói Nacional
Luanda – A governadora da província de Luanda, Ana Paula de Carvalho, rendeu, nesta sexta-feira, homenagem ao primeiro Presidente da República de Angola e Fundador da Nação António Agostinho Neto, com o hastear da Bandeira Monumento, no Museu de Historia Militar, no distrito urbano da Ingombota, município de Luanda.

Na sequência da jornada provincial comemorativa ao dia do também médico e poeta, que hoje completaria o seu 99º aniversário natalício, a gestora da urbe Luandense, depositou uma coroa de flores no Monumento do Soldado Desconhecido e no Sarcófago, no Memorial António Agostinho Neto.

Após ambas actividades, em declarações à imprensa, a governadora, Ana Paula de Carvalho, frisou que os munícipes de Luanda devem recordar o Estadista, pelos seus ensinamentos que continuam a ser referência para os contemporâneos e a nova geração.

Para o nacionalista e presidente da Fundação Sagrada Esperança, Roberto de Almeida, é importante que todos os angolanos se empenhem para que a máxima de António Agostinho Neto, na qual “ O mais importante é resolver os problemas do povo”, se concretize.

Por sua vez, o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, sublinhou que o Fundador da Nação deve ser também analisado do ponto de vista cultural e relembrado através da música, acentuando que serviu de pretexto para contrapor o processo da escravidão e do colonialismo.

Segundo o governante, a obra de António Agostinho Neto, deve fazer parte dos programas escolares, no sentido das gerações vindouras perceberem o Estadista numa visão retrospectiva e perspectiva rumo ao desenvolvimento.

A jornada terminou com um Sarau Cultural Neto, Presente, no Memorial António Agostinho Neto, onde vários músicos interpretaram canções com base nos textos poéticos do homenageado do dia.

O Fundador da Nação nasceu a 17 de Setembro de 1922, na Aldeia de Caxicane, município de Icolo e Bengo, e morreu no dia 10 do mesmo mês, em Moscovo, União da Antiga República Socialista Soviética, actualmente Rússia.  

 

Na sequência da jornada provincial comemorativa ao dia do também médico e poeta, que hoje completaria o seu 99º aniversário natalício, a gestora da urbe Luandense, depositou uma coroa de flores no Monumento do Soldado Desconhecido e no Sarcófago, no Memorial António Agostinho Neto.

Após ambas actividades, em declarações à imprensa, a governadora, Ana Paula de Carvalho, frisou que os munícipes de Luanda devem recordar o Estadista, pelos seus ensinamentos que continuam a ser referência para os contemporâneos e a nova geração.

Para o nacionalista e presidente da Fundação Sagrada Esperança, Roberto de Almeida, é importante que todos os angolanos se empenhem para que a máxima de António Agostinho Neto, na qual “ O mais importante é resolver os problemas do povo”, se concretize.

Por sua vez, o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, sublinhou que o Fundador da Nação deve ser também analisado do ponto de vista cultural e relembrado através da música, acentuando que serviu de pretexto para contrapor o processo da escravidão e do colonialismo.

Segundo o governante, a obra de António Agostinho Neto, deve fazer parte dos programas escolares, no sentido das gerações vindouras perceberem o Estadista numa visão retrospectiva e perspectiva rumo ao desenvolvimento.

A jornada terminou com um Sarau Cultural Neto, Presente, no Memorial António Agostinho Neto, onde vários músicos interpretaram canções com base nos textos poéticos do homenageado do dia.

O Fundador da Nação nasceu a 17 de Setembro de 1922, na Aldeia de Caxicane, município de Icolo e Bengo, e morreu no dia 10 do mesmo mês, em Moscovo, União da Antiga República Socialista Soviética, actualmente Rússia.