Removidas mais de 200 minas na zona turística da Tundavala

  • Sapatador em acção
Lubango - Duzentas e 19 minas anti-pessoais foram removidas desde o dia 20 de Julho último até à data, na localidade da Nompaca, na zona turística da Tundavala, uma acção do Instituto Nacional de Desminagem na Huíla.

A área foi identificada no final do ano de 2019 pela Angola Telecom, num espaço de sete hectares, localizados a 27 quilómetros da base do INAD, após um incidente que matou três animais e feriu uma senhora.

O trabalho de limpeza vai durar dois anos.

A informação foi avançada à ANGOP, nesta segunda-feira, pelo porta-voz da instituição, Tomás Calundungo, destacando o envolvimento de 16 técnicos, num perímetro de 480 mil metros quadrados, tendo já sido limpos 16 mil e 382.    

Explicou que, durante os trabalhos, seis mil e 623 pessoas em toda extensão da Huíla foram sensibilizadas sobre os perigos de minas.

Durante o período em referência, observou-se quatro incidentes com engenhos explosivos, na Quilimba, Arimba e Lubango (Mitcha e Nambambe) com cinco mortes, com idades entre os sete  aos 32 anos.

O INAD na Huíla trabalha em desminagem desde 2006, controlando um total de 18 campos minados. Conta com 60 técnicos dos quais 29 são especialistas de terreno.

A área foi identificada no final do ano de 2019 pela Angola Telecom, num espaço de sete hectares, localizados a 27 quilómetros da base do INAD, após um incidente que matou três animais e feriu uma senhora.

O trabalho de limpeza vai durar dois anos.

A informação foi avançada à ANGOP, nesta segunda-feira, pelo porta-voz da instituição, Tomás Calundungo, destacando o envolvimento de 16 técnicos, num perímetro de 480 mil metros quadrados, tendo já sido limpos 16 mil e 382.    

Explicou que, durante os trabalhos, seis mil e 623 pessoas em toda extensão da Huíla foram sensibilizadas sobre os perigos de minas.

Durante o período em referência, observou-se quatro incidentes com engenhos explosivos, na Quilimba, Arimba e Lubango (Mitcha e Nambambe) com cinco mortes, com idades entre os sete  aos 32 anos.

O INAD na Huíla trabalha em desminagem desde 2006, controlando um total de 18 campos minados. Conta com 60 técnicos dos quais 29 são especialistas de terreno.