IGAE promete fiscalização "sem tréguas” aos projectos do PIIM

  • Projecto do PIIM
Caála – O delegado da Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE) no Huambo, Augusto Fernandes da Piedade, prometeu, quinta-feira, uma fiscalização "sem tréguas" aos projectos inscritos no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

O responsável fez esta advetência depois de constatar “in loco” as obras de impacto económico-social em curso nos municípios da Caála e Ecunha, com realce para as do PIIM, lançado em 2019.

Assegurou que a IGAI vai prestar, igualmente, uma atenção especial aos projectos dos programas de Investimentos Públicos (PIP) e Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP), a fim de promover a transparência e o rigor na gestão do erário.

Augusto da Piedade disse ser intenção da instituição ajudar os gestores no sentido de aplicarem, de forma correcta, as verbas disponibilizadas para a execução de acções de impacto económico-social, visando a promoção do bem-estar comum.

O delegado da IGAE explicou que a fiscalização, auditoria e inspecção aos órgãos da administração directa e indirecta do Estado visa, essencialmente, acabar com os actos de “pequena corrupção” e, com isso, promover-se a melhoria da qualidade de vida da população.

As autoridades do município da Caála informaram aos inspectores da IGAI o grau de execução de seis projectos inscritos no âmbito do PIIM, com um investimento de dois mil milhões 895 milhões 836 mil e 448 Kwanzas, assim como as 60 acções do programa de combate à pobreza, orçadas em 300 milhões de Kwanzas.

O mesmo aconteceu no município do Ecunha, com 18 acções do PIIM, avaliadas em 828 milhões 753 mil 141 Kwanzas e 58 cêntimos, assim como os 58 projectos do programa de combate à pobreza, com um custo de 300 milhões de Kwanzas.

Estes projectos, segundo apurou a ANGOP, estão relacionados com a construção de infra-estruturas sanitárias, escolares, resselagem das estradas da cidade da Caála, terraplenagem, aquisição de equipamentos para o saneamento básico, assistência aos mais vulneráveis e outros.

O responsável fez esta advetência depois de constatar “in loco” as obras de impacto económico-social em curso nos municípios da Caála e Ecunha, com realce para as do PIIM, lançado em 2019.

Assegurou que a IGAI vai prestar, igualmente, uma atenção especial aos projectos dos programas de Investimentos Públicos (PIP) e Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP), a fim de promover a transparência e o rigor na gestão do erário.

Augusto da Piedade disse ser intenção da instituição ajudar os gestores no sentido de aplicarem, de forma correcta, as verbas disponibilizadas para a execução de acções de impacto económico-social, visando a promoção do bem-estar comum.

O delegado da IGAE explicou que a fiscalização, auditoria e inspecção aos órgãos da administração directa e indirecta do Estado visa, essencialmente, acabar com os actos de “pequena corrupção” e, com isso, promover-se a melhoria da qualidade de vida da população.

As autoridades do município da Caála informaram aos inspectores da IGAI o grau de execução de seis projectos inscritos no âmbito do PIIM, com um investimento de dois mil milhões 895 milhões 836 mil e 448 Kwanzas, assim como as 60 acções do programa de combate à pobreza, orçadas em 300 milhões de Kwanzas.

O mesmo aconteceu no município do Ecunha, com 18 acções do PIIM, avaliadas em 828 milhões 753 mil 141 Kwanzas e 58 cêntimos, assim como os 58 projectos do programa de combate à pobreza, com um custo de 300 milhões de Kwanzas.

Estes projectos, segundo apurou a ANGOP, estão relacionados com a construção de infra-estruturas sanitárias, escolares, resselagem das estradas da cidade da Caála, terraplenagem, aquisição de equipamentos para o saneamento básico, assistência aos mais vulneráveis e outros.