Inicia VII Congresso da OMA

Luanda – Com o “Angola Avante”, teve início cerca das 10h30 desta quinta-feira, no Centro de Convenções de Belas, em Luanda, o VII (sétimo) Congresso Ordinário da Organização da Mulher Angolana (OMA).

O conclave da organização feminina do MPLA, que tem a duração de dois dias, conta com as presenças do presidente do partido, João Lourenço, da vice-presidente, Luísa Damião, bem como de outros quadros seniores.

O Hino Nacional foi entoado pelo coral da OMA e as mil e 500 delegadas e convidados ao conclave, que decorre sob o lema “Mulher Angolana: Participação, Inclusão e Desenvolvimento”.

As delegadas provenientes de todo o país e de diferentes comunidades angolanas no estrangeiro preparam-se para eleger uma nova secretária-geral para a organização.

Joana Tomás, jornalista de profissão, é a única candidata à secretária-geral da OMA, cargo ocupado por Luzia Inglês “Inga” desde o congresso de 1999.

Desde a sua fundação, a 10 de Janeiro de 1962, a OMA vem contribuindo na luta pela defesa das liberdades e pelos direitos civis, económicos, políticos, sociais e culturais das mulheres, em particular, e do povo angolano, em geral.

O conclave da organização feminina do MPLA, que tem a duração de dois dias, conta com as presenças do presidente do partido, João Lourenço, da vice-presidente, Luísa Damião, bem como de outros quadros seniores.

O Hino Nacional foi entoado pelo coral da OMA e as mil e 500 delegadas e convidados ao conclave, que decorre sob o lema “Mulher Angolana: Participação, Inclusão e Desenvolvimento”.

As delegadas provenientes de todo o país e de diferentes comunidades angolanas no estrangeiro preparam-se para eleger uma nova secretária-geral para a organização.

Joana Tomás, jornalista de profissão, é a única candidata à secretária-geral da OMA, cargo ocupado por Luzia Inglês “Inga” desde o congresso de 1999.

Desde a sua fundação, a 10 de Janeiro de 1962, a OMA vem contribuindo na luta pela defesa das liberdades e pelos direitos civis, económicos, políticos, sociais e culturais das mulheres, em particular, e do povo angolano, em geral.