João Lourenço reúne-se com presidente da CEEAC

 
  
  • Chefe de Estado angolano, João Lourenço (à dir.), reúne-se com o seu homólogo da República do Congo e Presidente da Comunidade Económica dos Estados da África Central, Dennis Sassou Nguessou (à esq.)
  • Bandeiras de Países Africanos em Libreville Gabão
  • Chefe de Estado angolano, João Lourenço
  • Passagem da presidência da CEEAC do Chefe de Estado gabonês, Ali Bongó, para o seu homólogo congolês Dennis Sassou Nguessou.
  • Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade Económica dos Estados da África Central
Libreville (do enviado especial) - O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, manteve, esta sexta-feira, em Libreville (Gabão), um encontro privado com o seu homólogo da República do Congo e Presidente da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), Dennis Sassou Nguessou.

A reunião decorreu à margem da Cimeira da CEEAC, durante a qual Dennis Sassou Nguessou assumiu a presidência rotativa (de um ano) da organização, em substituição do Presidente do Gabão, Ali Bongo.

O Presidente angolano manteve igualmente encontros separados com os seus homólogos da República Centro Africana (RCA), Faustin Touadera, e do Tchad, Idris Deby.

A instabilidade política reinante na RCA, que realiza eleições a 27 de Dezembro deste ano, com 24 candidatos a Presidência do país, dominou o encontro entre João Lourenço e Faustin Touadera.

Cimeira

Em declarações à imprensa, o ministro angolano das Relações Exteriores, Téte António, disse que, face à situação na RCA, os líderes da CEEAC decidiram indicar proximamente um mediador permanente para cuidar dos assuntos internos desse país.

Acordaram igualmente desdobrar uma missão de observadores da organização para supervisionar as eleições nesse país, com vista a garantir que as mesmas decorram de forma pacífica.

O chefe da diplomacia angolana informou ainda que os líderes da CEEAC  chegaram a consenso relativamente ao plano estratégico indicativo, apresentado pelo presidente da comissão da organização, o angolano Gilberto Veríssimo.

Questões políticas,  diplomáticas, económicas, financeiras e sociais da organização estiveram em análise na cimeira, que foi antecedida de reuniões a nível de peritos e de ministros, por videoconferência, a partir de Libreville.

A CEEAC foi criada em Dezembro de 1981, em Libreville, Gabão, onde está a sede, e tornou-se operacional em 1985.

Tem como objectivos a promoção do desenvolvimento auto-sustentável, com particular ênfase para a estabilidade económica e a melhoria da qualidade de vida dos cidadão da comunidade.

Fazem parte da organização Angola, Burundi, Camarões, República Centro Africana, República do Congo, República Democrática do Congo, Guiné Equatorial, Gabão, Rwanda, São Tomé e Príncipe e Tchad.

 

A reunião decorreu à margem da Cimeira da CEEAC, durante a qual Dennis Sassou Nguessou assumiu a presidência rotativa (de um ano) da organização, em substituição do Presidente do Gabão, Ali Bongo.

O Presidente angolano manteve igualmente encontros separados com os seus homólogos da República Centro Africana (RCA), Faustin Touadera, e do Tchad, Idris Deby.

A instabilidade política reinante na RCA, que realiza eleições a 27 de Dezembro deste ano, com 24 candidatos a Presidência do país, dominou o encontro entre João Lourenço e Faustin Touadera.

Cimeira

Em declarações à imprensa, o ministro angolano das Relações Exteriores, Téte António, disse que, face à situação na RCA, os líderes da CEEAC decidiram indicar proximamente um mediador permanente para cuidar dos assuntos internos desse país.

Acordaram igualmente desdobrar uma missão de observadores da organização para supervisionar as eleições nesse país, com vista a garantir que as mesmas decorram de forma pacífica.

O chefe da diplomacia angolana informou ainda que os líderes da CEEAC  chegaram a consenso relativamente ao plano estratégico indicativo, apresentado pelo presidente da comissão da organização, o angolano Gilberto Veríssimo.

Questões políticas,  diplomáticas, económicas, financeiras e sociais da organização estiveram em análise na cimeira, que foi antecedida de reuniões a nível de peritos e de ministros, por videoconferência, a partir de Libreville.

A CEEAC foi criada em Dezembro de 1981, em Libreville, Gabão, onde está a sede, e tornou-se operacional em 1985.

Tem como objectivos a promoção do desenvolvimento auto-sustentável, com particular ênfase para a estabilidade económica e a melhoria da qualidade de vida dos cidadão da comunidade.

Fazem parte da organização Angola, Burundi, Camarões, República Centro Africana, República do Congo, República Democrática do Congo, Guiné Equatorial, Gabão, Rwanda, São Tomé e Príncipe e Tchad.