Líder da Unita apela ao reforço do diálogo institucional

  • Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, assistiu cerimónias fúnebres
Huambo – O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, apelou nesta sexta-feira, no Huambo, ao reforço do diálogo institucional e concertação social, para acabar os casos de intolerância política “ainda existentes um pouco por todo país”.

De acordo com o líder do maior partido na oposição em Angola, quando procedia à abertura da II reunião Ordinária da Comissão Política ao nível da região Centro-Sul de Angola, é através do diálogo franco e aberto que se vai construir a confiança e o respeito pela diferença.

Por este facto, Adalberto Costa Júnior defendeu a despartidarização das instituições e, por conseguinte, a implementação da reforma do Estado, enquanto factores indispensáveis para combate à pobreza e promover o desenvolvimento económico.

Realçou, também, a necessidade do contínuo reforço do processo de reconciliação nacional, para a promoção da paz social.

Conforme o político, a Unita, por ser a favor da descentralização administrativa, contínua a defender a realização das autarquias locais, na medida em que constitui um dos factores para a reforma do Estado.

Com término previsto para sábado (7), o evento conta com a presença de deputados à Assembleia Nacional e delegados das províncias de Benguela, Bié, Cuando Cubango, Cuanza Sul, Cunene, Huambo, Huíla e Namibe.

Antes do início dos trabalhos, a presidente da Lima, Helena Bonguela, nomeou e empossou as responsáveis desta organização feminina nas províncias de Benguela, Bié, Cuando Cubango, Cunene, Huambo, Huíla e Namibe.

Nas últimas eleições gerais de 23 de Agosto de 2017, a Unita obteve, na província do Huambo, 213 mil e 858 votos, tendo eleito dois, dos cinco deputados previstos.

De acordo com o líder do maior partido na oposição em Angola, quando procedia à abertura da II reunião Ordinária da Comissão Política ao nível da região Centro-Sul de Angola, é através do diálogo franco e aberto que se vai construir a confiança e o respeito pela diferença.

Por este facto, Adalberto Costa Júnior defendeu a despartidarização das instituições e, por conseguinte, a implementação da reforma do Estado, enquanto factores indispensáveis para combate à pobreza e promover o desenvolvimento económico.

Realçou, também, a necessidade do contínuo reforço do processo de reconciliação nacional, para a promoção da paz social.

Conforme o político, a Unita, por ser a favor da descentralização administrativa, contínua a defender a realização das autarquias locais, na medida em que constitui um dos factores para a reforma do Estado.

Com término previsto para sábado (7), o evento conta com a presença de deputados à Assembleia Nacional e delegados das províncias de Benguela, Bié, Cuando Cubango, Cuanza Sul, Cunene, Huambo, Huíla e Namibe.

Antes do início dos trabalhos, a presidente da Lima, Helena Bonguela, nomeou e empossou as responsáveis desta organização feminina nas províncias de Benguela, Bié, Cuando Cubango, Cunene, Huambo, Huíla e Namibe.

Nas últimas eleições gerais de 23 de Agosto de 2017, a Unita obteve, na província do Huambo, 213 mil e 858 votos, tendo eleito dois, dos cinco deputados previstos.