UNITA reitera mais diálogo e consenso com igrejas

Malanje - O primeiro secretário provincial da UNITA em Malanje, Mardanês Calunga, reiterou hoje (sábado), a necessidade de haver mais diálogo, concórdia e consenso com as igrejas, com vista a resolução dos principais problemas que afectam a população.

Mardanês Calunga frisou que o diálogo é uma das ferramentas que promove a união de ideias, pelo que "as igrejas não devem estar de fora na elaboração de políticas sociais e económicas para a melhoria das condições de vida dos munícipes".

O político, que dissertava uma palestra sobre “A visão da UNITA  para o Desenvolvimento Sustentável, Inclusivo e Participativo”, enquadrado nas festividades do 13 de Março, dia da fundação deste partido, disse ser necessário que os líderes religiosos trabalhem mais na formação da cidadania para o desenvolvimento das comunidades.

“A UNITA está aberta ao diálogo com todas as forças vivas da sociedade, incluindo os militantes de outros partidos políticos, para a busca de consensos nas questões de interesse nacional”, sustentou, acrescentando que o seu partido vai continuar a cooperar com as igrejas na moralização da sociedade, convivência pacífica, tolerância e respeito na diferença.

 

Mardanês Calunga frisou que o diálogo é uma das ferramentas que promove a união de ideias, pelo que "as igrejas não devem estar de fora na elaboração de políticas sociais e económicas para a melhoria das condições de vida dos munícipes".

O político, que dissertava uma palestra sobre “A visão da UNITA  para o Desenvolvimento Sustentável, Inclusivo e Participativo”, enquadrado nas festividades do 13 de Março, dia da fundação deste partido, disse ser necessário que os líderes religiosos trabalhem mais na formação da cidadania para o desenvolvimento das comunidades.

“A UNITA está aberta ao diálogo com todas as forças vivas da sociedade, incluindo os militantes de outros partidos políticos, para a busca de consensos nas questões de interesse nacional”, sustentou, acrescentando que o seu partido vai continuar a cooperar com as igrejas na moralização da sociedade, convivência pacífica, tolerância e respeito na diferença.