Ministro argelino trabalha em Luanda

  • Cidade de Luanda
Luanda - O ministro dos Negócios Estrangeiros da Argélia, Sabri Bokadoum, chega a Luanda nesta quarta-feira (13), para uma visita de trabalho de 24 horas a Angola, indica uma nota de imprensa do Ministério das Relações Exteriores (Mirex).

Conforme o comunicado, o chefe da diplomacia argelina é portador de uma mensagem do Presidente Abdelmadjid Tebboune, para o seu homólogo angolano, João Lourenço.

O programa da visita de Sabri Bokadoum prevê um encontro em privado, na quinta-feira de manhã, com o ministro angolano das Relações Exteriores, Téte António.

Para o mesmo dia está reservado um encontro de trabalho entre as delegações de Angola e da Argélia, a ser co-presidido pelo por Téte António e Sabri Bokadoum.

O chefe da diplomacia argelina regressa ao seu país no final da tarde de quinta-feira.

Angola e Argélia mantêm laços históricos de amizade, fraternidade e cooperação desde a era da luta de libertação nacional pela independência dos respectivos países e povos.
 
A cooperação entre os dois Estados centra-se, essencialmente, nos domínios político-diplomático, económico, comercial, da defesa e ordem interna, recursos minerais e petróleos, turismo, formação de quadros e promoção de investimentos.
 
 

Conforme o comunicado, o chefe da diplomacia argelina é portador de uma mensagem do Presidente Abdelmadjid Tebboune, para o seu homólogo angolano, João Lourenço.

O programa da visita de Sabri Bokadoum prevê um encontro em privado, na quinta-feira de manhã, com o ministro angolano das Relações Exteriores, Téte António.

Para o mesmo dia está reservado um encontro de trabalho entre as delegações de Angola e da Argélia, a ser co-presidido pelo por Téte António e Sabri Bokadoum.

O chefe da diplomacia argelina regressa ao seu país no final da tarde de quinta-feira.

Angola e Argélia mantêm laços históricos de amizade, fraternidade e cooperação desde a era da luta de libertação nacional pela independência dos respectivos países e povos.
 
A cooperação entre os dois Estados centra-se, essencialmente, nos domínios político-diplomático, económico, comercial, da defesa e ordem interna, recursos minerais e petróleos, turismo, formação de quadros e promoção de investimentos.