Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos condecorado no Brasil

  • Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Manuel Monteiro de Queiroz
Luanda – O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, foi condecorado, esta quarta-feira, em Brasília, com a comenda do Grau de Grã-Cruz (quadro especial), ordem de mérito do Ministério Público Militar Brasileiro.

Segundo uma nota, chegada esta quinta-feira à ANGOP, durante a cerimónia, alusiva ao centenário do Ministério Público Militar Brasileiro, mereceu igualmente condecoração, com a comenda de Grau Distinção, a professora angolana Amélia Cazalma  (PhD em Ciências da Educação), bem como renomadas figuras da vida pública e militar do Brasil.

O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos encontra-se no Brasil em visita de trabalho, no âmbito do reforço dos laços de amizade e de cooperação entre os dois países.

Antes de escalar Brasília, Francisco Queiroz visitou quarta-feira, no Rio de Janeiro, o consulado angolano e o posto local de emissão do Bilhete de Identidade.

Ainda quarta-feira, o governante angolano manteve, em separado, encontros de cortesia com o procurador-geral da Justiça Militar da União, Pereira Duarte, e com o secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, Fernando Magalhães, com os quais abordou questões pertinentes e de interesse bilateral, no domínio da justiça e direitos humanos.

As repúblicas de Angola e do Brasil, com laços histórico-culturais muito próximos, mantêm excelentes relações de cooperação em vários domínios, entre os quais os da Defesa e Segurança, Educação, Agricultura, Turismo e Hotelaria, Transportes, Cultura, Desportos, Ambiente, Finanças, Banca,  Petróleos, Construção, Habitação, entre outras áreas.

Além das relações que mantêm no quadro bilateral, cooperam igualmente no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), da qual ambas fazem parte com os demais estados lusófonos.

O Brasil foi o primeiro Estado a reconhecer a independência de Angola, em 1975.

Segundo uma nota, chegada esta quinta-feira à ANGOP, durante a cerimónia, alusiva ao centenário do Ministério Público Militar Brasileiro, mereceu igualmente condecoração, com a comenda de Grau Distinção, a professora angolana Amélia Cazalma  (PhD em Ciências da Educação), bem como renomadas figuras da vida pública e militar do Brasil.

O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos encontra-se no Brasil em visita de trabalho, no âmbito do reforço dos laços de amizade e de cooperação entre os dois países.

Antes de escalar Brasília, Francisco Queiroz visitou quarta-feira, no Rio de Janeiro, o consulado angolano e o posto local de emissão do Bilhete de Identidade.

Ainda quarta-feira, o governante angolano manteve, em separado, encontros de cortesia com o procurador-geral da Justiça Militar da União, Pereira Duarte, e com o secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, Fernando Magalhães, com os quais abordou questões pertinentes e de interesse bilateral, no domínio da justiça e direitos humanos.

As repúblicas de Angola e do Brasil, com laços histórico-culturais muito próximos, mantêm excelentes relações de cooperação em vários domínios, entre os quais os da Defesa e Segurança, Educação, Agricultura, Turismo e Hotelaria, Transportes, Cultura, Desportos, Ambiente, Finanças, Banca,  Petróleos, Construção, Habitação, entre outras áreas.

Além das relações que mantêm no quadro bilateral, cooperam igualmente no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), da qual ambas fazem parte com os demais estados lusófonos.

O Brasil foi o primeiro Estado a reconhecer a independência de Angola, em 1975.