MINJUSDH abre este ano concurso de promoção para oficiais de Justiça

Luanda - O Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos (MINJUSDH) pretende abrir, ainda em 2021, um concurso de promoção para os Oficiais de Justiça a si afectos e a contar com o fundo salarial acumulado em função das reformas, demissões e falecimentos.

De acordo com uma nota de imprensa a que a ANGOP teve acesso hoje, Domingo, o  Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos leva ao conhecimento público que a informação posta  a circular nas redes sociais, sobre uma eventual abertura de concurso público de acesso, ingresso ou transição para os funcionários afectos aos seus serviços, é, em termos de conteúdo, falsa e destituida de qualquer fundamento.

Segundo a nota do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos,  
os autores de tal informação recuperaram números de um concurso público realizado em 2018 e incluiram falsamente vagas relativas aos funcionários dos Tribunais que, desde 2018,  deixaram de depender do ministério, no âmbito da autonomia dos Tribunais, em termos de gestão de recursos humanos. 

"Com este expediente pretendem confundir os funcionários deste sector com expectativas irrealizáveis, influenciar a lisura do processo e obter benefícios ilegais para si próprios", refere o documento. 

A direcção do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos apela à população para estar atenta e não se deixar enganar por este tipo de notícias, pois este Departamento Ministerial dispõe de canais próprios para a divulgação das informações oficiais, conclui a nota.

De acordo com uma nota de imprensa a que a ANGOP teve acesso hoje, Domingo, o  Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos leva ao conhecimento público que a informação posta  a circular nas redes sociais, sobre uma eventual abertura de concurso público de acesso, ingresso ou transição para os funcionários afectos aos seus serviços, é, em termos de conteúdo, falsa e destituida de qualquer fundamento.

Segundo a nota do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos,  
os autores de tal informação recuperaram números de um concurso público realizado em 2018 e incluiram falsamente vagas relativas aos funcionários dos Tribunais que, desde 2018,  deixaram de depender do ministério, no âmbito da autonomia dos Tribunais, em termos de gestão de recursos humanos. 

"Com este expediente pretendem confundir os funcionários deste sector com expectativas irrealizáveis, influenciar a lisura do processo e obter benefícios ilegais para si próprios", refere o documento. 

A direcção do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos apela à população para estar atenta e não se deixar enganar por este tipo de notícias, pois este Departamento Ministerial dispõe de canais próprios para a divulgação das informações oficiais, conclui a nota.