MPLA apela à reconciliação dos kimbanguistas

  • Primeiro Secretário do MPLA em Luanda, Bento Bento (arquivo)
Luanda - O primeiro secretário provincial do MPLA em Luanda, Sebastião Bento Bento, apelou, neste domingo, aos fiéis da Igreja de Jesus Cristo Sobre a Terra (kimbanguista) a se reconciliarem e colocarem de parte as desavenças que os dividem.

O político fez este apelo durante uma visita àquela congregação religiosa, tendo sublinhado que Angola precisa de líderes comprometidos com a reconciliação.

A igreja Kimbanguista atravessa uma crise de liderança que já dura mais de 17 anos e deu origem a duas alas.

Bento Bento ressaltou o espírito reconciliador que o representante da Igreja Kimbanguista, Kissolokele Paul, tem demonstrado.

"O Papa Paul é um líder comprometido com Angola e com os angolanos e tem batalhado para que a reconciliação seja uma realidade no seio da igreja", expressou.

Encorajou as obras realizadas pela igreja, com destaque para a reabilitação do centro de conferências no distrito urbano do Palanca e a construção de um policlínica com mais de 30 camas, no município de Viana.

Na sua intervenção, o primeiro secretário provincial do MPLA em Luanda exortou à adesão em massa à vacinação contra a Covid-19, a fim de se evitar a propagação do vírus no país.

Ao se referir ao profeta Simão Kimbangu, fundador da igreja, Bento Bento o considerou "nacionalista convicto, patriota e africanista".

Perante os fiéis, considerou o profeta Simão Kimbangu um dos precursores das independências africanas.

Já o líder espiritual da igreja Kimbanguista em Angola, Kissolokele Paul, afirmou que o principal objetivo da igreja é viver em paz.

Kissolokele Paul anunciou a construção, ainda este ano, de um centro de formação.

Quanto à policlínica materno infantil de Viana, disse já estar em funcionamento, após as correções orientadas pelo Ministério da Saúde.

Sobre a reconciliação da igreja, Kissolokele Paul disse ser o "pão de cada dia da igreja".

Lembrou que a igreja Kimbanguista é de matriz cristã, logo não pode permanecer em constante conflito.

A igreja Kimbanguista celebra este domingo o centenário da detenção pelas autoridades belgas do profeta Simão Kimbangu, ocorrida a 12 de Setembro de 1921 na localidade de Nkamba.

Fruto dessa detenção, Simão Kimbangu foi julgado e condenado à pena de prisão perpétua onde permaneceu durante 30 anos.

A igreja kimbanguista foi fundada a 6 de Abril de 1921 por Simão Kimbangu na localidade de Nkamba e está implantada em 32 países. Possui mais de 30 milhões de fiéis.

O político fez este apelo durante uma visita àquela congregação religiosa, tendo sublinhado que Angola precisa de líderes comprometidos com a reconciliação.

A igreja Kimbanguista atravessa uma crise de liderança que já dura mais de 17 anos e deu origem a duas alas.

Bento Bento ressaltou o espírito reconciliador que o representante da Igreja Kimbanguista, Kissolokele Paul, tem demonstrado.

"O Papa Paul é um líder comprometido com Angola e com os angolanos e tem batalhado para que a reconciliação seja uma realidade no seio da igreja", expressou.

Encorajou as obras realizadas pela igreja, com destaque para a reabilitação do centro de conferências no distrito urbano do Palanca e a construção de um policlínica com mais de 30 camas, no município de Viana.

Na sua intervenção, o primeiro secretário provincial do MPLA em Luanda exortou à adesão em massa à vacinação contra a Covid-19, a fim de se evitar a propagação do vírus no país.

Ao se referir ao profeta Simão Kimbangu, fundador da igreja, Bento Bento o considerou "nacionalista convicto, patriota e africanista".

Perante os fiéis, considerou o profeta Simão Kimbangu um dos precursores das independências africanas.

Já o líder espiritual da igreja Kimbanguista em Angola, Kissolokele Paul, afirmou que o principal objetivo da igreja é viver em paz.

Kissolokele Paul anunciou a construção, ainda este ano, de um centro de formação.

Quanto à policlínica materno infantil de Viana, disse já estar em funcionamento, após as correções orientadas pelo Ministério da Saúde.

Sobre a reconciliação da igreja, Kissolokele Paul disse ser o "pão de cada dia da igreja".

Lembrou que a igreja Kimbanguista é de matriz cristã, logo não pode permanecer em constante conflito.

A igreja Kimbanguista celebra este domingo o centenário da detenção pelas autoridades belgas do profeta Simão Kimbangu, ocorrida a 12 de Setembro de 1921 na localidade de Nkamba.

Fruto dessa detenção, Simão Kimbangu foi julgado e condenado à pena de prisão perpétua onde permaneceu durante 30 anos.

A igreja kimbanguista foi fundada a 6 de Abril de 1921 por Simão Kimbangu na localidade de Nkamba e está implantada em 32 países. Possui mais de 30 milhões de fiéis.