MPLA exorta consolidação do Estado Democrático

Luanda - O MPLA exortou nesta terça-feira os cidadãos nacionais a participar “activamente” no processo de consolidação do Estado Democrático e de Direito.

A exortação vem expressa numa declaração por ocasião do 45º aniversário da Independência Nacional, a assinalar-se na quarta-feira.
 
Angola proclamou a Independência Nacional do jugo colonial português a 11 de Novembro de 1975.
 
Na nota, o Bureau Político do MPLA reiterou a firme confiança de que Angola há-de preservar e materializar os sonhos de liberdade, paz, desenvolvimento e fidelidade aos princípios da solidariedade e cooperação com todos os povos do mundo.
 
Aquele órgão de direcção partidário enalteceu as conquistas alcançadas ao longo do percurso histórico de Angola e a apela a participação patriótica nas festividades que se assinalam sob o lema “Unidade, estabilidade e desenvolvimento”.
 
“O 11 de Novembro de 1975 marca o culminar da longa luta de resistência contra o jugo colonial português e o nascimento de um Estado independente e soberano que rapidamente inscreveu o seu nome no concerto das nações e converteu-se em sujeito do direito internacional público”, lê-se no comunicado.
 
O partido no poder homenageia os combatentes da gesta heróica, curvando-se perante à memória do saudoso Camarada Presidente António Agostinho Neto, que soube interpretar os ideais do nacionalismo e patriotismo angolanos e conduzir a luta armada de libertação nacional.
 
A nota indica que Angola de hoje é resultado do espírito de bravura e determinação dos Heróis da Liberdade e dos esforços abnegados na defesa da soberania e da unidade nacional.
 
Refere ainda que a paz, a estabilidade social e política são bens inadiáveis arduamente conquistados com suor, sangue e lágrimas consentidos pelos melhores filhos da nossa amada Pátria.
 
O Bureau Político indica que “Angola regista progressos assinaláveis no exercício da cidadania e preservação da estabilidade política e social, da unidade e reconciliação nacional, da paz e da democracia”.
 
No quadro da valorização das conquistas alcançadas ao nível dos direitos, liberdades e garantias, o MPLA releva a coexistência pacífica entre as forças políticas, bem como o espírito de concertação e participação.

A exortação vem expressa numa declaração por ocasião do 45º aniversário da Independência Nacional, a assinalar-se na quarta-feira.
 
Angola proclamou a Independência Nacional do jugo colonial português a 11 de Novembro de 1975.
 
Na nota, o Bureau Político do MPLA reiterou a firme confiança de que Angola há-de preservar e materializar os sonhos de liberdade, paz, desenvolvimento e fidelidade aos princípios da solidariedade e cooperação com todos os povos do mundo.
 
Aquele órgão de direcção partidário enalteceu as conquistas alcançadas ao longo do percurso histórico de Angola e a apela a participação patriótica nas festividades que se assinalam sob o lema “Unidade, estabilidade e desenvolvimento”.
 
“O 11 de Novembro de 1975 marca o culminar da longa luta de resistência contra o jugo colonial português e o nascimento de um Estado independente e soberano que rapidamente inscreveu o seu nome no concerto das nações e converteu-se em sujeito do direito internacional público”, lê-se no comunicado.
 
O partido no poder homenageia os combatentes da gesta heróica, curvando-se perante à memória do saudoso Camarada Presidente António Agostinho Neto, que soube interpretar os ideais do nacionalismo e patriotismo angolanos e conduzir a luta armada de libertação nacional.
 
A nota indica que Angola de hoje é resultado do espírito de bravura e determinação dos Heróis da Liberdade e dos esforços abnegados na defesa da soberania e da unidade nacional.
 
Refere ainda que a paz, a estabilidade social e política são bens inadiáveis arduamente conquistados com suor, sangue e lágrimas consentidos pelos melhores filhos da nossa amada Pátria.
 
O Bureau Político indica que “Angola regista progressos assinaláveis no exercício da cidadania e preservação da estabilidade política e social, da unidade e reconciliação nacional, da paz e da democracia”.
 
No quadro da valorização das conquistas alcançadas ao nível dos direitos, liberdades e garantias, o MPLA releva a coexistência pacífica entre as forças políticas, bem como o espírito de concertação e participação.