MPLA lamenta morte de nacionalista Morais Castro

Luanda - O Secretário do Bureau Político do MPLA manifestou, nesta sexta-feira, consternação pela morte do nacionalista Morais Marques de Castro.

O nacionalista e participante da luta de libertação nacional morreu no dia 24 do corrente mês, vítima de doença, aos 79 anos de idade.

Em nota de condolências, o MPLA afirma que o nacionalista se iniciou na actividade política com acções clandestinas desenvolvidas na Célula da área de Cage Mazumbo, e teve passagem notável nos Serviços de Assistência Médica Militar (S.A.M.M), de que foi Chefe do Pessoal e de Distribuição de Medicamentos à 1ª Região Político-Militar do MPLA.

Natural da aldeia de Quipanzo, município de Nambuangongo, província do Bengo, Morais Castro destacou-se também no desempenho das funções de Delegado Provincial da Saúde no Huambo (1977), e Director da Escola Técnica de Saúde do Bengo (1997-98).

O MPLA refere que o desaparecimento físico do nacionalista constitui uma perda irreparável e deixa enorme vazio na família, entre os militantes do MPLA e na sociedade em geral.

O nacionalista e participante da luta de libertação nacional morreu no dia 24 do corrente mês, vítima de doença, aos 79 anos de idade.

Em nota de condolências, o MPLA afirma que o nacionalista se iniciou na actividade política com acções clandestinas desenvolvidas na Célula da área de Cage Mazumbo, e teve passagem notável nos Serviços de Assistência Médica Militar (S.A.M.M), de que foi Chefe do Pessoal e de Distribuição de Medicamentos à 1ª Região Político-Militar do MPLA.

Natural da aldeia de Quipanzo, município de Nambuangongo, província do Bengo, Morais Castro destacou-se também no desempenho das funções de Delegado Provincial da Saúde no Huambo (1977), e Director da Escola Técnica de Saúde do Bengo (1997-98).

O MPLA refere que o desaparecimento físico do nacionalista constitui uma perda irreparável e deixa enorme vazio na família, entre os militantes do MPLA e na sociedade em geral.