MPLA no Bié reitera confiança às reformas políticas

Chinguar- O segundo secretário do MPLA no Bié, Anastácio Severino Sambowe, reiterou o apelo, neste sábado, aos jovens a manterem-se calmos e confiantes nas reformas políticas, económicas e sociais em curso no país, fruto do trabalho do Presidente da República, João Lourenço, com vista a melhorar a curto prazo a vida dos cidadãos.

Anastácio Sambowe teceu estas declarações à Imprensa, durante uma dissertação no acto antecipado dos 58 anos da fundação da JMPLA, a assinalar-se a 23 deste mês, decorrido no município do Chinguar, 75 quilómetros a Sudoeste do Cuito.

Repudiando todos os actos e tentativas de manifestação protagonizados por jovens contra o desemprego, Anastácio Sambowe admite que qualquer reforma traz algumas consequências e insuficiência, mas considera necessário aceitar que o sacrifício agora consentido poderá trazer alguma melhoria na vida das populações.

De acordo com o político, o objectivo do MPLA sempre foi trabalhar para a melhoria das condições de vida das populações, apelando, porém, para mais coesão em torno das políticas de governação do Presidente João Lourenço, de modo a encorajá-lo a prosseguir.

Apesar de estarem consagradas na Constituição da República, o político é de opinião que as manifestações devem ser pacificas, contrariamente aos episódios violentos que se assiste no país, sobretudo na capital, Luanda, face as restrições da Covid-19.

Por sua vez, o primeiro secretário-província da JMPLA no Bié, Alfredo Cussomba, frisou que a organização tem estado a desenvolver acções que visam a construção de uma sociedade mais plural face aos ideiais do partido.

Nesta conformidade, Alfredo Cussomba, disse que a sua organização está junto dos jovens locais a trabalhar no sentido de revitalizar a vida produtiva através do incentivo ao empreendedorismo, com oferta de cursos profissionais em diversas áreas.

Contudo, o responsável admitiu haver já sinais visíveis de jovens que através de vários ofícios, conseguiram criar micro e pequenas empresas, sobretudo nos sectores da serralharia, marcenaria, decoração, corte e costura.