MPLA reitera aposta no modelo de desenvolvimento sustentável para o país

  • MPLA reúne Bureau Político
Luanda - O Bureau Político do MPLA reafirmou, esta quinta-feira, o modelo de desenvolvimento sustentável adoptado pelo partido para Angola.

De acordo com o comunicado final da 6ª Reunião Ordinária do Bureau Político, o desenvolvimento sustentável deve ser assente na maior inclusão dos angolanos nas oportunidades económicas e no aprofundamento da cidadania participativa em prol do desenvolvimento harmonioso do país.

Durante a reunião, orientada pelo presidente do partido, João Lourenço, o Bureau Político apreciou o parecer sobre a proposta de Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2022, que elegeu o apoio à economia, a defesa dos rendimentos e do consumo das famílias, lê-se no comunicado.

A nota adianta que o OGE de 2022 será materializado através de medidas tributárias, de promoção do emprego e do aumento do pessoal na administração pública, considerando igualmente as progressões, promoções e actualizações como principais alicerces.

O Bureau Político congratulou-se com o facto de o OGE de 2022 vir a ser complementado no quadro da retoma do crescimento económico e da necessária consolidação fiscal, como condição para a melhoria da qualidade de vida dos angolanos.

Aquele órgão de direcção do MPLA apreciou a proposta de agenda de trabalho da VI sessão ordinária do Comité Central, o projecto de relatórios de balanço do processo orgânico e de informação sobre as candidaturas a submeter ao VIII congresso ordinário, a realizar-se de 9 a 11 de Dezembro deste ano.

Os membros do Bureau Político aprovaram a candidatura de João Lourenço a presidente do MPLA.

Denúncia

O Bureau Político denunciou a existência de campanhas de mentira e difamação que visam atingir a imagem do MPLA e dos seus dirigentes, veiculadas por vários meios de comunicação, com maior incidência para as redes sociais.

Mobilização

O primeiro secretário do MPLA no Uíge, José Carvalho da Rocha, disse que os militantes estão mobilizados e expectantes por um MPLA melhor.

Informou terem sido eleitos 191 delegados ao congresso e oito pré-candidatos para o Comité Central.

Já Marcos Nhunga, o primeiro secretário do MPLA em Cabinda, afirmou estar cumprido o processo orgânico, preparando o partido para o congresso e para a vitória no pleito eleitoral de 2022.

O político indicou que os militantes têm trabalhado pensando na vitória em Cabinda.

De acordo com o comunicado final da 6ª Reunião Ordinária do Bureau Político, o desenvolvimento sustentável deve ser assente na maior inclusão dos angolanos nas oportunidades económicas e no aprofundamento da cidadania participativa em prol do desenvolvimento harmonioso do país.

Durante a reunião, orientada pelo presidente do partido, João Lourenço, o Bureau Político apreciou o parecer sobre a proposta de Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2022, que elegeu o apoio à economia, a defesa dos rendimentos e do consumo das famílias, lê-se no comunicado.

A nota adianta que o OGE de 2022 será materializado através de medidas tributárias, de promoção do emprego e do aumento do pessoal na administração pública, considerando igualmente as progressões, promoções e actualizações como principais alicerces.

O Bureau Político congratulou-se com o facto de o OGE de 2022 vir a ser complementado no quadro da retoma do crescimento económico e da necessária consolidação fiscal, como condição para a melhoria da qualidade de vida dos angolanos.

Aquele órgão de direcção do MPLA apreciou a proposta de agenda de trabalho da VI sessão ordinária do Comité Central, o projecto de relatórios de balanço do processo orgânico e de informação sobre as candidaturas a submeter ao VIII congresso ordinário, a realizar-se de 9 a 11 de Dezembro deste ano.

Os membros do Bureau Político aprovaram a candidatura de João Lourenço a presidente do MPLA.

Denúncia

O Bureau Político denunciou a existência de campanhas de mentira e difamação que visam atingir a imagem do MPLA e dos seus dirigentes, veiculadas por vários meios de comunicação, com maior incidência para as redes sociais.

Mobilização

O primeiro secretário do MPLA no Uíge, José Carvalho da Rocha, disse que os militantes estão mobilizados e expectantes por um MPLA melhor.

Informou terem sido eleitos 191 delegados ao congresso e oito pré-candidatos para o Comité Central.

Já Marcos Nhunga, o primeiro secretário do MPLA em Cabinda, afirmou estar cumprido o processo orgânico, preparando o partido para o congresso e para a vitória no pleito eleitoral de 2022.

O político indicou que os militantes têm trabalhado pensando na vitória em Cabinda.