Paz abre novos horizontes para os angolanos

Moçâmedes- O governador do Namibe, Archer Mangueira, afirmou, neste domingo, que a Paz alcançada a 4 de Abril de 2020 abriu para todos os angolanos um horizonte de esperança e prosperidade.

Falando no acto das celebrações do dia da Paz e Reconciliação Nacional, o governador disse que o alcance da paz obrigou os angolanos a novos desafios, pesar do agravamento das condições de vida em função da crise económica que afectou duramente os pilares da economia angolana.

Archer Mangueira disse que, com o silêncio das armas e a reconciliação democrática, foi possível iniciar e concluir a reconstrução nacional, reerguendo infra-estruturas destruídas pela guerra, o restabelecimento da mobilidade de pessoas e bens, desminagem das terras aráveis.

“Muitas oportunidades perdidas e muitas práticas condenáveis que estão a ser combatidas e debeladas com coragem política e sentido de justiça, pudemos todos beneficiar do desenvolvimento que a estabilidade social e política nos proporcionaram”, disse.

FConforme o governante, a paz é o instrumento mais poderoso de que qualquer comunidade ou nação pode dispor para alcançar o desenvolvimento. “ A paz, a reconciliação e a reconstrução da nação nasceram da consciência dos danos desse terrível passado de 27 anos, que ceifou tantas vidas, provocou tantas perdas e destroçou o país. Celebrar a paz e perpetuar a reconciliação obriga a cada um de nós certificar-se de que esses tempos amargos do passado não voltem a ressurgir”, reforçou.

Para o governador, como povo amante da paz, os angolanos querem o país prospere e preste serviços básicos para todos. "Porque a nossa liberdade nunca será completa, nem a nossa democracia plena se não se atenderem as necessidades básicas do nosso Povo, acrescentou.

Enquanto o pais prossegue rumo a reconstrução, com a construção de salas de aula e hospitais, a recuperação de estradas, o fornecimento de energia, água potável e saneamento básico, Archer Mangueira diz ainda ser necessário manter a vigilância contra os inimigos do desenvolvimento e da democracia.

Para Archer Mangueira, a reconstrução e o desenvolvimento são a única forma de garantir que todos os angolanos têm para uma vida em que se partilha o interesse no bem-estar do país como um todo.

As celebrações do 4 de Abril, Dia da Paz e da Reconciliação Nacional contou com a presença do secretário de Estado do Interior, Salvador Rodrigues, antigos combatentes e veteranos da pátria, deputados, membros da sociedade civil e convidados.

 

 

Falando no acto das celebrações do dia da Paz e Reconciliação Nacional, o governador disse que o alcance da paz obrigou os angolanos a novos desafios, pesar do agravamento das condições de vida em função da crise económica que afectou duramente os pilares da economia angolana.

Archer Mangueira disse que, com o silêncio das armas e a reconciliação democrática, foi possível iniciar e concluir a reconstrução nacional, reerguendo infra-estruturas destruídas pela guerra, o restabelecimento da mobilidade de pessoas e bens, desminagem das terras aráveis.

“Muitas oportunidades perdidas e muitas práticas condenáveis que estão a ser combatidas e debeladas com coragem política e sentido de justiça, pudemos todos beneficiar do desenvolvimento que a estabilidade social e política nos proporcionaram”, disse.

FConforme o governante, a paz é o instrumento mais poderoso de que qualquer comunidade ou nação pode dispor para alcançar o desenvolvimento. “ A paz, a reconciliação e a reconstrução da nação nasceram da consciência dos danos desse terrível passado de 27 anos, que ceifou tantas vidas, provocou tantas perdas e destroçou o país. Celebrar a paz e perpetuar a reconciliação obriga a cada um de nós certificar-se de que esses tempos amargos do passado não voltem a ressurgir”, reforçou.

Para o governador, como povo amante da paz, os angolanos querem o país prospere e preste serviços básicos para todos. "Porque a nossa liberdade nunca será completa, nem a nossa democracia plena se não se atenderem as necessidades básicas do nosso Povo, acrescentou.

Enquanto o pais prossegue rumo a reconstrução, com a construção de salas de aula e hospitais, a recuperação de estradas, o fornecimento de energia, água potável e saneamento básico, Archer Mangueira diz ainda ser necessário manter a vigilância contra os inimigos do desenvolvimento e da democracia.

Para Archer Mangueira, a reconstrução e o desenvolvimento são a única forma de garantir que todos os angolanos têm para uma vida em que se partilha o interesse no bem-estar do país como um todo.

As celebrações do 4 de Abril, Dia da Paz e da Reconciliação Nacional contou com a presença do secretário de Estado do Interior, Salvador Rodrigues, antigos combatentes e veteranos da pátria, deputados, membros da sociedade civil e convidados.