João Lourenço destaca avanços na saúde

  • Presidente João Lourenço ausculta a juventude
Luanda – O Presidente da República, João Lourenço, afirmou nesta quinta-feira, na capital do país, que o sector da Saúde vai continuar a registar melhorias em 2021, com a inauguração de novas unidades sanitárias, como o Hospital Sanatório de Luanda.

Conforme o Chefe de Estado, que falava no encontro de auscultação à juventude, para melhorar a assistência sanitária serão também inaugurados o Hospital Materno Infantil e o Hospital de Hematologia, ambos na capital do país.

Trata-se de infra-estruturas que o Governo previa inaugurar no decurso deste ano, propósito inviabilizado por causa da pandemia da Covid-19, de acordo o Presidente angolano.

No global, João Lourenço afirmou que o sector da Saúde conheceu melhorias significativas nos últimos anos, devido, fundamentalmente, à construção e reabilitação de infra-estruturas sanitárias de referência e ao enquadramento de novos profissionais, em várias localidades do país.

Entre os principais ganhos, o Chefe de Estado apontou a admissão de 25 mil profissionais, em três anos, e a construção de novas unidades, em Luanda, Moxico, Bié e Lunda Sul.

"Em dois anos, admitimos mais profissionais na saúde, melhoramos as condições de assistência sanitárias nas principais unidades de referência no país, com o aumento do número de camas, equipamentos e os serviços dos cuidados intensivos”, reforçou João Lourenço.  

Para João Lourenço, os hospitais do Bié (Cuemba e Cuito), do Moxico e a melhora de serviços nas principais unidades sanitárias de Luanda são ganhos assinaláveis.

O encontro com a juventude, que decorre no Centro de Convenções de Talatona, em Luanda, acontece “no espírito da sua presidência aberta e na sequência de outros realizados em Julho e Outubro de2019, respectivamente nas cidades do Soyo (Zaire) e Cuito” (Bié).

Recentemente, o Estadista angolano recebeu em audiência o presidente do Conselho Nacional da Juventude, Isaías Calunga, com quem analisou preocupações ligadas à habitação para jovens, formação técnico-profissional, ao emprego e à inserção no sistema de ensino.

O encontro acontece numa altura em que grupos juvenis da sociedade civil se têm vindo a manifestar em protesto contra a subida do custo de vida, exigir mais transparência no combate à corrupção, melhores condições de vida, entre outras.

 

Conforme o Chefe de Estado, que falava no encontro de auscultação à juventude, para melhorar a assistência sanitária serão também inaugurados o Hospital Materno Infantil e o Hospital de Hematologia, ambos na capital do país.

Trata-se de infra-estruturas que o Governo previa inaugurar no decurso deste ano, propósito inviabilizado por causa da pandemia da Covid-19, de acordo o Presidente angolano.

No global, João Lourenço afirmou que o sector da Saúde conheceu melhorias significativas nos últimos anos, devido, fundamentalmente, à construção e reabilitação de infra-estruturas sanitárias de referência e ao enquadramento de novos profissionais, em várias localidades do país.

Entre os principais ganhos, o Chefe de Estado apontou a admissão de 25 mil profissionais, em três anos, e a construção de novas unidades, em Luanda, Moxico, Bié e Lunda Sul.

"Em dois anos, admitimos mais profissionais na saúde, melhoramos as condições de assistência sanitárias nas principais unidades de referência no país, com o aumento do número de camas, equipamentos e os serviços dos cuidados intensivos”, reforçou João Lourenço.  

Para João Lourenço, os hospitais do Bié (Cuemba e Cuito), do Moxico e a melhora de serviços nas principais unidades sanitárias de Luanda são ganhos assinaláveis.

O encontro com a juventude, que decorre no Centro de Convenções de Talatona, em Luanda, acontece “no espírito da sua presidência aberta e na sequência de outros realizados em Julho e Outubro de2019, respectivamente nas cidades do Soyo (Zaire) e Cuito” (Bié).

Recentemente, o Estadista angolano recebeu em audiência o presidente do Conselho Nacional da Juventude, Isaías Calunga, com quem analisou preocupações ligadas à habitação para jovens, formação técnico-profissional, ao emprego e à inserção no sistema de ensino.

O encontro acontece numa altura em que grupos juvenis da sociedade civil se têm vindo a manifestar em protesto contra a subida do custo de vida, exigir mais transparência no combate à corrupção, melhores condições de vida, entre outras.