Oitenta e sete por cento dos presos do Peu-Peu em formação

Ondjiva - Oitenta e sete por cento da população penal da cadeia de Peu-Peu, província do Cunene, está enquadrada nos cursos de informática, ensino, agricultura, mecânica, electricidade, pastelaria e artesanato.

Cumprem prisão no Peu-Peu mil e 443 reclusos, entre detidos e condenados.

O  envolvimento da população penal em actividades produtivas e de capacitação constitui a principal aposta dos  Serviços Penitenciários na província do Cunene.

O plano visa contribuir no processo de reeducação dos reclusos, com realce para os jovens.

Em entrevista hoje à Angop, o director dos serviços penitenciários no Cunene, subcomissário prisional José Celestino, assegurou o  contínuo trabalho de prestar toda a atenção para garantir a dignidade merecida aos reclusos, apesar de estarem a cumprir penas.

 Lembrou ser prioridade do Ministério do Interior, em relação aos cuidados com os reclusos, a alfabetização para a recuperação do atraso escolar, bem como a promoção de cursos, no sentido de permitir a sua ressocialização, após o cumprimento das penas.

Educação e ensino

Actualmente 167 reclusos frequentam as aulas de alfabetização até ao primeiro ciclo do ensino secundário.

De acordo com o director, o recinto prisional dispõe de quatro salas, com capacidade para 35 alunos cada.

A par disso, o responsável informou que o presídio do Peu- Peu conta também com uma biblioteca e uma sala de informática que beneficiam 53 reclusos e funcionários da unidade.

Em fase de conclusão, está o centro de artes e ofícios.

Produção agrícola

Com dois campos de produção, actualmente 62 hectares de terra encontram-se em plantio, com uma previsão de colheita 72 toneladas, contra as 32.56 da época agrícola de 2019/2020.

Cereais, hortícolas, leguminosa e frutícolas, são produtos lançado à terra, para a diversificação da dieta alimentar dos reclusos e comercialização.

José Celestino informou que 250 reclusos, com comportamento aceitável, estão incorporados na agricultura.

Assistência sanitária

O estabelecimento dispõe de um posto médico com capacidade para  60 camas, apetrechado com equipamentos diversos e fármacos suficientes para a garantia da assistência médica-medicamentosa à população penal.

O subcomissário enfatizou que a assistência médica  é extensivas a população residente ao redor do presídio, assegurado por um médico permanente.

 A malária, cárie dentária, hemorroides, assim como patologias do fórum respiratório são as doenças mais frequentes.

 Inaugurado em 2014, o Centro Prisional do Peu-Peu está localizado no município de Ombadja, 123 quilómetros de Ondjiva. Dispõem de uma capacidade de alojamento de 1500 reclusos.

Comporta nove blocos, sendo três naves de celas masculinas e femininas, um bloco administrativo, um posto de saúde, salas de aulas, cozinha, lavandaria, entre outros compartimentos.

Cumprem prisão no Peu-Peu mil e 443 reclusos, entre detidos e condenados.

O  envolvimento da população penal em actividades produtivas e de capacitação constitui a principal aposta dos  Serviços Penitenciários na província do Cunene.

O plano visa contribuir no processo de reeducação dos reclusos, com realce para os jovens.

Em entrevista hoje à Angop, o director dos serviços penitenciários no Cunene, subcomissário prisional José Celestino, assegurou o  contínuo trabalho de prestar toda a atenção para garantir a dignidade merecida aos reclusos, apesar de estarem a cumprir penas.

 Lembrou ser prioridade do Ministério do Interior, em relação aos cuidados com os reclusos, a alfabetização para a recuperação do atraso escolar, bem como a promoção de cursos, no sentido de permitir a sua ressocialização, após o cumprimento das penas.

Educação e ensino

Actualmente 167 reclusos frequentam as aulas de alfabetização até ao primeiro ciclo do ensino secundário.

De acordo com o director, o recinto prisional dispõe de quatro salas, com capacidade para 35 alunos cada.

A par disso, o responsável informou que o presídio do Peu- Peu conta também com uma biblioteca e uma sala de informática que beneficiam 53 reclusos e funcionários da unidade.

Em fase de conclusão, está o centro de artes e ofícios.

Produção agrícola

Com dois campos de produção, actualmente 62 hectares de terra encontram-se em plantio, com uma previsão de colheita 72 toneladas, contra as 32.56 da época agrícola de 2019/2020.

Cereais, hortícolas, leguminosa e frutícolas, são produtos lançado à terra, para a diversificação da dieta alimentar dos reclusos e comercialização.

José Celestino informou que 250 reclusos, com comportamento aceitável, estão incorporados na agricultura.

Assistência sanitária

O estabelecimento dispõe de um posto médico com capacidade para  60 camas, apetrechado com equipamentos diversos e fármacos suficientes para a garantia da assistência médica-medicamentosa à população penal.

O subcomissário enfatizou que a assistência médica  é extensivas a população residente ao redor do presídio, assegurado por um médico permanente.

 A malária, cárie dentária, hemorroides, assim como patologias do fórum respiratório são as doenças mais frequentes.

 Inaugurado em 2014, o Centro Prisional do Peu-Peu está localizado no município de Ombadja, 123 quilómetros de Ondjiva. Dispõem de uma capacidade de alojamento de 1500 reclusos.

Comporta nove blocos, sendo três naves de celas masculinas e femininas, um bloco administrativo, um posto de saúde, salas de aulas, cozinha, lavandaria, entre outros compartimentos.