Angola trabalha para atrair investimento estrangeiro - PR

  • Presidente da República, João Lourenço.
Luanda – O Presidente da República, João Lourenço, reiterou, nesta quarta-feira, a aposta do Governo no trabalho contínuo para atrair o investimento estrangeiro e consequentemente desenvolver o turismo nacional.

O Chefe de Estado, que falava à imprensa no final da inauguração do hotel Intercontinental Luanda Miramar, afirmou que o Executivo angolano está apostado em criar um ambiente de negócios mais amigo do investimento privado nacional e estrangeiro.

“Faltava-nos este tipo de hotel, gerido por uma cadeia internacional do ramo e com grande prestígio”, referiu.

Segundo o Presidente, a unidade hoteleira vai garantir 900 empregos directos e com isso ganha o investimento privado, o turismo e Angola.

João Lourenço disse que este empreendimento, agora nacionalizado, faz parte dos activos recuperados pela Procuradoria-Geral da República, no âmbito do Combate à Corrupção.

“É um sinal de que devemos continuar a recuperar tudo aquilo que foi realizado com capitais públicos, mas, que infelizmente, deixou de ser”, sublinhou.

O Presidente João Lourenço recordou que foi um investimento feito pela petrolífera angolana Sonangol e que, como resultado da acção da PGR, acabou por regressar a quem realmente fez o investimento na sua totalidade.

Já para o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Sebastião Gaspar Martins, o processo de gestão do hotel Intercontinental será feita entre a empresa Miramar, detida a 100% pela Sonangol, em parceria com o Intercontinental Hotels Group.

Quanto a recuperação do capital investido, Sebastião Gaspar Martins avançou que se almejava que fosse no mais curto horizonte temporal possível, mas devido a situação actual, não será possível alcançar os objectivos, uma vez que as indústrias hoteleiras e turísticas têm sido afectadas.

O PCA da Sonangol referiu ainda que, neste momento, está a ser levado a cabo um trabalho de privatização das instituições, sendo estas entregues a entidades conhecedoras do negócio, facto que culminará, seguidamente, com a privatização da titularidade deste activo.

A construção do hotel Intercontinental Luanda Miramar trouxe uma melhoria para a zona adjacente ao Eixo Viário, com a reabilitação da estrada, iluminação pública, paisagem, construção e drenagem das zonas limítrofes, da subestação eléctrica, instalação de mobiliário urbano e a reabilitação da passagem hídrica.   

A infra-estrutura, primeira do grupo em Angola, conta com duas suites presidenciais, quatro suites diamante, 19 suites executivas, 16 suites júnior, 65 suites premium twin bed e 271 suites premium king bed, além de locais para a instalação de lojas.

O Chefe de Estado, que falava à imprensa no final da inauguração do hotel Intercontinental Luanda Miramar, afirmou que o Executivo angolano está apostado em criar um ambiente de negócios mais amigo do investimento privado nacional e estrangeiro.

“Faltava-nos este tipo de hotel, gerido por uma cadeia internacional do ramo e com grande prestígio”, referiu.

Segundo o Presidente, a unidade hoteleira vai garantir 900 empregos directos e com isso ganha o investimento privado, o turismo e Angola.

João Lourenço disse que este empreendimento, agora nacionalizado, faz parte dos activos recuperados pela Procuradoria-Geral da República, no âmbito do Combate à Corrupção.

“É um sinal de que devemos continuar a recuperar tudo aquilo que foi realizado com capitais públicos, mas, que infelizmente, deixou de ser”, sublinhou.

O Presidente João Lourenço recordou que foi um investimento feito pela petrolífera angolana Sonangol e que, como resultado da acção da PGR, acabou por regressar a quem realmente fez o investimento na sua totalidade.

Já para o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Sebastião Gaspar Martins, o processo de gestão do hotel Intercontinental será feita entre a empresa Miramar, detida a 100% pela Sonangol, em parceria com o Intercontinental Hotels Group.

Quanto a recuperação do capital investido, Sebastião Gaspar Martins avançou que se almejava que fosse no mais curto horizonte temporal possível, mas devido a situação actual, não será possível alcançar os objectivos, uma vez que as indústrias hoteleiras e turísticas têm sido afectadas.

O PCA da Sonangol referiu ainda que, neste momento, está a ser levado a cabo um trabalho de privatização das instituições, sendo estas entregues a entidades conhecedoras do negócio, facto que culminará, seguidamente, com a privatização da titularidade deste activo.

A construção do hotel Intercontinental Luanda Miramar trouxe uma melhoria para a zona adjacente ao Eixo Viário, com a reabilitação da estrada, iluminação pública, paisagem, construção e drenagem das zonas limítrofes, da subestação eléctrica, instalação de mobiliário urbano e a reabilitação da passagem hídrica.   

A infra-estrutura, primeira do grupo em Angola, conta com duas suites presidenciais, quatro suites diamante, 19 suites executivas, 16 suites júnior, 65 suites premium twin bed e 271 suites premium king bed, além de locais para a instalação de lojas.