Peritos da SADC preparam cimeira extraordinária

  • Dístico da  SADC
Maputo (Dos enviados especiais) - O Comité Permanente dos Altos Funcionários da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) prepara, a partir desta segunda-feira, em Maputo (Moçambique), uma cimeira extraordinária da organização, a realizar-se quarta-feira (23).

Nesta reunião preparatória da Cimeira Extraordinária dos Chefes de Estado e de Governo da organização, a delegação angolana é chefiada pelo secretário nacional da SADC, Nazaré Salvador.

Entre as 20 propostas em discussão constam o grau de implementação das decisões do Conselho de Ministros da organização, um informe sobre a situação da pandemia da Covid-19 na região e o plano de implementação do Desenvolvimento Estratégico Indicativo Regional Revisto 2020-2030.

Constou também a operacionalização do Centro de Operações Humanitárias e de Emergência da SADC, o funcionamento do Centro para as Energias Renováveis e Eficiência Energética, a segurança alimentar e a precipitação, durante a campanha agrícola 2020-2021.

Na sessão de peritos do órgão regional foi ainda discutido o progresso no combate ao VIH/Sida , o mecanismo de diálogo entre a SADC e o sector privado e a questão financeira da criação do Comité de Tecnologia de Informação e Comunicação da SADC.

Também em discussão no encontro, presidido pelo presidente do Comité dos Altos Funcionários da SADC, o moçambicano Carlos Manuel da Costa, estiveram a situação das mulheres em cargos políticos e de tomada de decisões e o progresso rumo à paridade de género no secretariado da organização, bem como o programa do órgão sobre cultura.

Para terça-feira, está prevista outra reunião preparatória, a nível ministerial, onde Angola estará representada pelo secretário de Estado do Interior, José Bamoquina Zau, que já se encontra na capital moçambicana.

A Comunidade de Desenvolvimento da África Austral é uma organização de integração e cooperação dos 16  países membros, que foi criada a 17 de Agosto de 1992.

Visa a promoção do crescimento e desenvolvimento económico sustentável, a diminuição da pobreza, o aumento da qualidade de vida da população, a paz e a segurança, o reforço e consolidação das afinidades culturais, históricas e sociais da região, entre outros.

Fazem parte da SADC Angola, África do Sul, Botswana, República Democrática do Congo, Comores, Eswatini, Lesoto, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, República Unida da Tanzânia, Zâmbia, Zimbabwe e Seychelles.

Nesta reunião preparatória da Cimeira Extraordinária dos Chefes de Estado e de Governo da organização, a delegação angolana é chefiada pelo secretário nacional da SADC, Nazaré Salvador.

Entre as 20 propostas em discussão constam o grau de implementação das decisões do Conselho de Ministros da organização, um informe sobre a situação da pandemia da Covid-19 na região e o plano de implementação do Desenvolvimento Estratégico Indicativo Regional Revisto 2020-2030.

Constou também a operacionalização do Centro de Operações Humanitárias e de Emergência da SADC, o funcionamento do Centro para as Energias Renováveis e Eficiência Energética, a segurança alimentar e a precipitação, durante a campanha agrícola 2020-2021.

Na sessão de peritos do órgão regional foi ainda discutido o progresso no combate ao VIH/Sida , o mecanismo de diálogo entre a SADC e o sector privado e a questão financeira da criação do Comité de Tecnologia de Informação e Comunicação da SADC.

Também em discussão no encontro, presidido pelo presidente do Comité dos Altos Funcionários da SADC, o moçambicano Carlos Manuel da Costa, estiveram a situação das mulheres em cargos políticos e de tomada de decisões e o progresso rumo à paridade de género no secretariado da organização, bem como o programa do órgão sobre cultura.

Para terça-feira, está prevista outra reunião preparatória, a nível ministerial, onde Angola estará representada pelo secretário de Estado do Interior, José Bamoquina Zau, que já se encontra na capital moçambicana.

A Comunidade de Desenvolvimento da África Austral é uma organização de integração e cooperação dos 16  países membros, que foi criada a 17 de Agosto de 1992.

Visa a promoção do crescimento e desenvolvimento económico sustentável, a diminuição da pobreza, o aumento da qualidade de vida da população, a paz e a segurança, o reforço e consolidação das afinidades culturais, históricas e sociais da região, entre outros.

Fazem parte da SADC Angola, África do Sul, Botswana, República Democrática do Congo, Comores, Eswatini, Lesoto, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, República Unida da Tanzânia, Zâmbia, Zimbabwe e Seychelles.