PN homenageia ex-comandante da corporação

  • Comandante Geral da Poliícia Nacional, Paulo de Almeida presta algumas declarações
Luanda - O anfiteatro da Unidade Operativa de Luanda da Polícia Nacional designa-se, a partir deste sábado, Armindo do Espirito Santo Vieira em sua homenagem.

Ao intervir no acto de reinauguração do anfiteatro, o Comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, considerou a homenagem ao ex-comandante Armindo do Espirito Santo, um gesto muito simples, mas de grande importância, por representar o reconhecimento a um dos grandes  timoneiros da corporação.

“Não queríamos passar estes 45 anos, sem deixar uma pequena marca daquilo que foi a sua contribuição em prol da corporação. Este gesto representa o nosso reconhecimento por tudo quanto fez”, destacou  o comissãrio-geral Paulo de Almeida.

Por sua vez, Armindo do Espírito Santo Vieira, ex-comandante-geral, que foi convidado a descerrar a placa, agradeceu o gesto e considerou de oportuno o reconhecimento que lhe foi feito enquanto está vivo.

“A minha satisfação e gratidão ao senhor Comandante-geral pelo gesto, normalmente as pessoas sáo homenageados depois de mortas e, ser recordado enquanto vivo representa o reconhecimento para todos  nós”, ressaltou.

O anfiteatro tem uma capacidade de cem lugares.

Nas mesmas instalações da UOL, o Comandante-geral da PN reinaugurou também a área administrativa, totalmente remodelada, assim como realizou uma visita guiada, acompanhado de altas patentes da corporação.

A Polícia Nacional assinala amanhã, 28 de Fevereiro, o seu 45º aniversário, data em que em 1976, o primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, visitou a Escola de Polícia "Mártires do Kapolo", em Luanda, onde presidiu a cerimónia de juramento de bandeira de 383 polícias, dos quais 102 do sexo feminino.

Ao intervir no acto de reinauguração do anfiteatro, o Comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, considerou a homenagem ao ex-comandante Armindo do Espirito Santo, um gesto muito simples, mas de grande importância, por representar o reconhecimento a um dos grandes  timoneiros da corporação.

“Não queríamos passar estes 45 anos, sem deixar uma pequena marca daquilo que foi a sua contribuição em prol da corporação. Este gesto representa o nosso reconhecimento por tudo quanto fez”, destacou  o comissãrio-geral Paulo de Almeida.

Por sua vez, Armindo do Espírito Santo Vieira, ex-comandante-geral, que foi convidado a descerrar a placa, agradeceu o gesto e considerou de oportuno o reconhecimento que lhe foi feito enquanto está vivo.

“A minha satisfação e gratidão ao senhor Comandante-geral pelo gesto, normalmente as pessoas sáo homenageados depois de mortas e, ser recordado enquanto vivo representa o reconhecimento para todos  nós”, ressaltou.

O anfiteatro tem uma capacidade de cem lugares.

Nas mesmas instalações da UOL, o Comandante-geral da PN reinaugurou também a área administrativa, totalmente remodelada, assim como realizou uma visita guiada, acompanhado de altas patentes da corporação.

A Polícia Nacional assinala amanhã, 28 de Fevereiro, o seu 45º aniversário, data em que em 1976, o primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, visitou a Escola de Polícia "Mártires do Kapolo", em Luanda, onde presidiu a cerimónia de juramento de bandeira de 383 polícias, dos quais 102 do sexo feminino.