Visita à Turquia visa relançamento da cooperação – João Lourenço

  • Presidente da República, João Lourenço (à esq.), com o seu homólogo turco
Luanda – O Presidente da República, João Lourenço, apontou esta terça-feira, em Ankara, a necessidade do aumento do nível de cooperação entre Angola e a Turquia.

“É intenção mútua recuperar o tempo perdido e fazer desta visita de Estado a oportunidade para o relançamento da cooperação”, defendeu o estadista angolano.

Segundo o Presidente João Lourenço, que falava após a cerimónia de assinatura de 10 acordos de cooperação, os dois países abrem uma nova era nas relações bilaterais, tendo em conta o desenvolvimento económico.

Linha de Crédito

Autoridades angolanas e turcas vão negociar uma linha de financiamento para investimentos público-privado e públicos.

De acordo com o Chefe de Estado angolano, o investimento privado turco é bem-vindo à todas as áreas e sectores da economia em que os investidores entenderem existir viabilidade económica, quer na modalidade de investimento privado com a utilização de recursos próprios, como em parcerias público-privadas, ou na execução de empreitadas de infra-estruturas contratadas pelo Estado.

Acrescentou que esta linha de crédito foi solicitada às autoridades Turcas e, de modo geral, foi imediatamente aceite, restando agora accionar os mecanismos junto do Eximbank da Turquia.

Em relação a este assunto, agradeceu ao Presidente Recep Tayyip Erdogan pelo pragmatismo e rapidez na resposta à solicitação das autoridades angolanas.

Visita de Estado a Angola

O Chefe de Estado angolano anunciou ter convidado o seu homólogo turco para uma visita oficial a Angola, imediatamente, aceite e marcada para o mês de Outubro deste ano.

Por sua vez, o Chefe de Estado Turco, Recep Tayyip Erdogan, agradeceu a visita e manifestou-se, igualmente, satisfeito com o êxito da mesma, o que, no seu entender, ficou sublinhado nos instrumentos jurídicos rubricados.

As repúblicas de Angola e da Turquia desenvolvem relações bilaterais desde 1980, reforçadas hoje com a assinatura de 10 acordos de cooperação.

Trata-se de acordos nos domínios do comércio, economia, recursos minerais, transportes, além de aspectos consulares e diplomáticos.

“É intenção mútua recuperar o tempo perdido e fazer desta visita de Estado a oportunidade para o relançamento da cooperação”, defendeu o estadista angolano.

Segundo o Presidente João Lourenço, que falava após a cerimónia de assinatura de 10 acordos de cooperação, os dois países abrem uma nova era nas relações bilaterais, tendo em conta o desenvolvimento económico.

Linha de Crédito

Autoridades angolanas e turcas vão negociar uma linha de financiamento para investimentos público-privado e públicos.

De acordo com o Chefe de Estado angolano, o investimento privado turco é bem-vindo à todas as áreas e sectores da economia em que os investidores entenderem existir viabilidade económica, quer na modalidade de investimento privado com a utilização de recursos próprios, como em parcerias público-privadas, ou na execução de empreitadas de infra-estruturas contratadas pelo Estado.

Acrescentou que esta linha de crédito foi solicitada às autoridades Turcas e, de modo geral, foi imediatamente aceite, restando agora accionar os mecanismos junto do Eximbank da Turquia.

Em relação a este assunto, agradeceu ao Presidente Recep Tayyip Erdogan pelo pragmatismo e rapidez na resposta à solicitação das autoridades angolanas.

Visita de Estado a Angola

O Chefe de Estado angolano anunciou ter convidado o seu homólogo turco para uma visita oficial a Angola, imediatamente, aceite e marcada para o mês de Outubro deste ano.

Por sua vez, o Chefe de Estado Turco, Recep Tayyip Erdogan, agradeceu a visita e manifestou-se, igualmente, satisfeito com o êxito da mesma, o que, no seu entender, ficou sublinhado nos instrumentos jurídicos rubricados.

As repúblicas de Angola e da Turquia desenvolvem relações bilaterais desde 1980, reforçadas hoje com a assinatura de 10 acordos de cooperação.

Trata-se de acordos nos domínios do comércio, economia, recursos minerais, transportes, além de aspectos consulares e diplomáticos.