PR dialoga com conselheiro de Segurança Nacional dos EUA

  • Momento em que o Presidente João Lourenço desembarcava em Washington, D.C
Washington (Dos enviados especiais) – Um encontro entre o Presidente da República, João Lourenço, e o conselheiro de Segurança Nacional do Presidente dos Estados Unidos, Jake Sullivan, segunda-feira, constitui um dos destaques do programa da visita do estadista angolano a Washington.

Uma abordagem sobre a segurança no continente africano, em particular, e no mundo, em geral, poderá estar no centro do encontro.

Jake Sullivan ocupa o cargo desde o início do mandato de Joe Biden, em Janeiro do corrente ano, sendo o principal conselheiro do Presidente dos Estados Unidos para questões de segurança nacional.

No mesmo dia, João Lourenço, que está desde sábado em Washington para uma visita de trabalho, será outorgado com o prémio da Fundação Internacional para a Conservação do Ambiente (ICCF), durante a Gala Anual desta organização, pelas suas iniciativas em prol da conservação ambiental.

O Chefe de Estado tem também previstos encontros com a presidente da Câmara de Representantes (uma das duas câmaras dos EUA. A outra é o Senado), Nancy Pelosi, e com as lideranças das comissões de Relações Exteriores da Câmara de Representantes e do Senado.

Segundo o embaixador de Angola nos Estados Unidos, Joaquim do Espírito Santo, esses encontros visam estabelecer diálogo, acordos económicos, relações pacíficas e parcerias comerciais.

Durante a sua estada em Washington, distrito de Columbia, João Lourenço tomará contacto com o valioso acervo do Museu de História Afro-Americana, onde vai dialogar com descendentes de escravos idos de Angola há mais de 400 anos e estabelecidos no estado vizinho da Virgínia.

Os afro-descendentes tiveram participação relevante na formação dos Estados Unidos da América.

Uma entrevista ao jornal “The Washington Post”, o segundo maior diário do país depois do “New York Times”, está igualmente na agenda de trabalho do Presidente, para abordar vários temas da actualidade política, económica e social de Angola, entre outros.

“The Washington Post”, fundado em Dezembro de 1877, é o diário de maior circulação na área metropolitana de Washington, com grande audiência nacional.

Com uma circulação diária de 356 mil 768 exemplares, desde 2015, e 838 mil 014 aos domingos (2013), esse jornal já ganhou 69 prémios Pulitzer (outorgado a pessoas com  trabalhos de excelência na área do jornalismo, literatura e composição musical).

Depois da capital estadunidense, o Chefe de Estado angolano desloca-se, quarta-feira, a Nova Iorque, para participar no debate geral da 76ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, a decorrer de 21 a 27 de Setembro, no qual vai discursar no dia 23 (próxima quinta-feira).

 

Uma abordagem sobre a segurança no continente africano, em particular, e no mundo, em geral, poderá estar no centro do encontro.

Jake Sullivan ocupa o cargo desde o início do mandato de Joe Biden, em Janeiro do corrente ano, sendo o principal conselheiro do Presidente dos Estados Unidos para questões de segurança nacional.

No mesmo dia, João Lourenço, que está desde sábado em Washington para uma visita de trabalho, será outorgado com o prémio da Fundação Internacional para a Conservação do Ambiente (ICCF), durante a Gala Anual desta organização, pelas suas iniciativas em prol da conservação ambiental.

O Chefe de Estado tem também previstos encontros com a presidente da Câmara de Representantes (uma das duas câmaras dos EUA. A outra é o Senado), Nancy Pelosi, e com as lideranças das comissões de Relações Exteriores da Câmara de Representantes e do Senado.

Segundo o embaixador de Angola nos Estados Unidos, Joaquim do Espírito Santo, esses encontros visam estabelecer diálogo, acordos económicos, relações pacíficas e parcerias comerciais.

Durante a sua estada em Washington, distrito de Columbia, João Lourenço tomará contacto com o valioso acervo do Museu de História Afro-Americana, onde vai dialogar com descendentes de escravos idos de Angola há mais de 400 anos e estabelecidos no estado vizinho da Virgínia.

Os afro-descendentes tiveram participação relevante na formação dos Estados Unidos da América.

Uma entrevista ao jornal “The Washington Post”, o segundo maior diário do país depois do “New York Times”, está igualmente na agenda de trabalho do Presidente, para abordar vários temas da actualidade política, económica e social de Angola, entre outros.

“The Washington Post”, fundado em Dezembro de 1877, é o diário de maior circulação na área metropolitana de Washington, com grande audiência nacional.

Com uma circulação diária de 356 mil 768 exemplares, desde 2015, e 838 mil 014 aos domingos (2013), esse jornal já ganhou 69 prémios Pulitzer (outorgado a pessoas com  trabalhos de excelência na área do jornalismo, literatura e composição musical).

Depois da capital estadunidense, o Chefe de Estado angolano desloca-se, quarta-feira, a Nova Iorque, para participar no debate geral da 76ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, a decorrer de 21 a 27 de Setembro, no qual vai discursar no dia 23 (próxima quinta-feira).