PR lamenta morte de cidadãos devido às chuvas

  • Presidente da República, João Lourenço, endereça mensagem à Juventude pelo 14 de Abril
Luanda – O Presidente da República, João Lourenço, lamentou esta terça-feira, em Luanda, a perda de vidas humanas e os avultados danos materiais causados pelas fortes chuvas que se abateram sobre a capital angolana nos últimos dias.

Numa mensagem dirigida ao país, o Presidente angolano refere que "as pesadas chuvas que se têm abatido neste mês de Abril sobre Luanda, para além dos elevados danos materiais, causaram ontem a morte de 14 cidadãos, seja pelo efeito directo das enxurradas, seja pelo desabar das suas precárias habitações”.

“Não podemos ficar indiferentes a mais esta tragédia, que ciclicamente enluta ou causa graves prejuízos aos habitantes da capital no período mais agudo da estação das chuvas”, afirma, exprimindo a sua solidariedade e as mais sentidas condolências a todas as famílias que perderam os seus entes queridos.

O Chefe de Estado apelou ao bom senso e à compreensão de todos os habitantes da capital, “para que evitem agravar o já frágil sistema de saneamento da cidade, abstendo-se de construir sobre as linhas de água e canais de escoamento das quedas pluviais, respeitando as medidas adoptadas para o seu pleno funcionamento”.

De acordo com dados dos Serviço Nacional de Protecção Civil e  Bombeiros, a chuva que caíu segunda-feira na província de Luanda provocaram a morte de 14 pessoas, enquanto duas outras ficaram feridas, mil 600 residências acabaram inundadas, causando o desalojamento de oito mil pessoas.

As mortes foram, maioritariamente, causadas  por electrocussão e desabamento de paredes, nos municípios de Luanda, com cinco (5) casos, Cazenga (3), Viana, Kilamba Kiaxi e Cacuaco com  duas  (2) mortes cada.

A chuva também danificou pontes, derrubou árvores,  provocou o transbordo de várias bacias de retenção e causou, igualmente, avaria de viaturas, muitas das quais ficaram submersas.

 

Numa mensagem dirigida ao país, o Presidente angolano refere que "as pesadas chuvas que se têm abatido neste mês de Abril sobre Luanda, para além dos elevados danos materiais, causaram ontem a morte de 14 cidadãos, seja pelo efeito directo das enxurradas, seja pelo desabar das suas precárias habitações”.

“Não podemos ficar indiferentes a mais esta tragédia, que ciclicamente enluta ou causa graves prejuízos aos habitantes da capital no período mais agudo da estação das chuvas”, afirma, exprimindo a sua solidariedade e as mais sentidas condolências a todas as famílias que perderam os seus entes queridos.

O Chefe de Estado apelou ao bom senso e à compreensão de todos os habitantes da capital, “para que evitem agravar o já frágil sistema de saneamento da cidade, abstendo-se de construir sobre as linhas de água e canais de escoamento das quedas pluviais, respeitando as medidas adoptadas para o seu pleno funcionamento”.

De acordo com dados dos Serviço Nacional de Protecção Civil e  Bombeiros, a chuva que caíu segunda-feira na província de Luanda provocaram a morte de 14 pessoas, enquanto duas outras ficaram feridas, mil 600 residências acabaram inundadas, causando o desalojamento de oito mil pessoas.

As mortes foram, maioritariamente, causadas  por electrocussão e desabamento de paredes, nos municípios de Luanda, com cinco (5) casos, Cazenga (3), Viana, Kilamba Kiaxi e Cacuaco com  duas  (2) mortes cada.

A chuva também danificou pontes, derrubou árvores,  provocou o transbordo de várias bacias de retenção e causou, igualmente, avaria de viaturas, muitas das quais ficaram submersas.