PR reconhece empenho da juventude na edificação do Estado de Direito

  • Presidente da República, João Lourenço
Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, reconhece, nesta quarta-feira, o “papel de destaque” que os jovens angolanos desempenharam na edificação do Estado Democrático e de Direito, bem como no processo de reconstrução nacional.

Em mensagem, por ocasião do Dia da Juventude Angolana que hoje se assinala, o Chefe de Estado lembra o papel desempenhado ao longo da história, desde a luta pela conquista da independência nacional e defesa da soberania.

Para João Lourenço, “o grande desafio de hoje é o combate contra o novo coronavírus, que se expandiu à escala planetária e ganhou a dimensão de pandemia”.

Angola fez um esforço considerável no asseguramento dos meios de biossegurança, na capacitação do pessoal médico e paramédico, além de importantes investimentos em infra-estruturas hospitalares, com o crescimento do número de leitos e de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), indica o Titular do Poder Executivo.

Na mensagem, João Lourenço refere que novo investimento está a ser feito na aquisição de vacinas para imunizar grande parte da população adulta, com destaque para os de grupos de risco.  

“Mas todo o esforço do Executivo e sacrífício da população, ao longo de mais de um ano, pode ter sido em vão, levando-nos, de novo, ao confinamento e ao Estado de Emergência se deixarmos de usar a mascara, (…) de higienizar as mãos, (…) e de cumprir com o distanciamento social recomendado”, lê-se na missiva.

Nesta luta contra a pandemia da Covid-19, prossegue o Presidente João Lourenço, “como em outros grandes desafios que a nação enfrentou e venceu, contamos, também, com o sentido patriótico do jovem angolano”.

O Chefe de Estado entende que o comprometimento dos jovens na luta contra a pandemia poderá contribuir, expressivamente, para a redução da probabilidade de alastramento da contaminação pelo novo coronavírus.  

João Lourenço desencoraja à “tentação” das festas, praias e outras actividades temporariamente desaconselhadas, para que “possamos preservar as nossas vidas e a do próximo por muitos anos”. 

Alerta, para o facto de o país ser parte da luta que todo o planeta leva a cabo contra a pandemia, na obrigação de se ir até ao fim, sem baixar a guarda antes da vitória que parece estar próxima.  

Por último, exorta os jovens angolanos a assumirem um comportamento, particularmente contra a Covid-19. 

Em mensagem, por ocasião do Dia da Juventude Angolana que hoje se assinala, o Chefe de Estado lembra o papel desempenhado ao longo da história, desde a luta pela conquista da independência nacional e defesa da soberania.

Para João Lourenço, “o grande desafio de hoje é o combate contra o novo coronavírus, que se expandiu à escala planetária e ganhou a dimensão de pandemia”.

Angola fez um esforço considerável no asseguramento dos meios de biossegurança, na capacitação do pessoal médico e paramédico, além de importantes investimentos em infra-estruturas hospitalares, com o crescimento do número de leitos e de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), indica o Titular do Poder Executivo.

Na mensagem, João Lourenço refere que novo investimento está a ser feito na aquisição de vacinas para imunizar grande parte da população adulta, com destaque para os de grupos de risco.  

“Mas todo o esforço do Executivo e sacrífício da população, ao longo de mais de um ano, pode ter sido em vão, levando-nos, de novo, ao confinamento e ao Estado de Emergência se deixarmos de usar a mascara, (…) de higienizar as mãos, (…) e de cumprir com o distanciamento social recomendado”, lê-se na missiva.

Nesta luta contra a pandemia da Covid-19, prossegue o Presidente João Lourenço, “como em outros grandes desafios que a nação enfrentou e venceu, contamos, também, com o sentido patriótico do jovem angolano”.

O Chefe de Estado entende que o comprometimento dos jovens na luta contra a pandemia poderá contribuir, expressivamente, para a redução da probabilidade de alastramento da contaminação pelo novo coronavírus.  

João Lourenço desencoraja à “tentação” das festas, praias e outras actividades temporariamente desaconselhadas, para que “possamos preservar as nossas vidas e a do próximo por muitos anos”. 

Alerta, para o facto de o país ser parte da luta que todo o planeta leva a cabo contra a pandemia, na obrigação de se ir até ao fim, sem baixar a guarda antes da vitória que parece estar próxima.  

Por último, exorta os jovens angolanos a assumirem um comportamento, particularmente contra a Covid-19.