PR termina visita de Estado ao Ghana

  • Presidente da República, João Lourenço, e Presidente da República do Ghana, Nana Akoufo-Addo
Accra (Do enviado especial) – O Presidente da República, João Lourenço, terminou, esta terça-feira, a sua primeira visita de Estado ao Ghana, durante a qual foi assinado um Memorando de Intenções com vista a alavancar a cooperação bilateral.

O último dia de visita do Chefe de Estado angolano, que deixa a capital ghanense na quarta-feira, ficou marcado pela participação no Fórum de Negócios e de Investimento de Angola, evento em que destacou as potencialidades económicas do país.

Ao intervir no fórum, que reuniu homens de negócios de vários países da região Ocidental de África, para além de convidar os empresários e investirem em Angola, afirmou que o governo está a criar medidas fundamentais para tornar o ambiente de negócios mais atractivo, previsível e seguro.

Encorajou e convidou os empresários a encararem as oportunidades de investimentos que o país oferece em vários domínios, nomeadamente nas áreas da agropecuária, silvicultura, pescas, recursos minerais, indústria transformadora, comércio, energia e águas, construção, transportes, telecomunicações, hotelaria e turismo, entre outros.

Num outro domínio, afirmou que Angola e o Ghana enfrentam o desafio do desenvolvimento económico e social, razão pela qual as matérias primas de que dispõem devem ser transformadas localmente, garantindo valor acrescentado para os tornar mais competitivos no mercado internacional e, sobretudo, para criar postos de trabalho.

O estadista angolano participou, igualmente, numa sessão especial no parlamento, onde fez uma abordagem sobre o histórico da cooperação entre os dois países.

Manifestou-se, de igual modo, convicto de que os dois países podem atingir os fins preconizados no âmbito da cooperação, optimizando a utilização dos importantes mecanismos de que a África dispõe, para potenciar os seus recursos e obter resultados tangíveis no quadro da Zona de Comércio Livre do Continente Africano (ZCLCA), com vista a promover os investimentos e negócios impulsionadores do desenvolvimento.

De acordo com João Lourenço, foram identificadas as áreas em que os dois dois países vão implementar acções de cooperação, nomeadamente no sector da exploração de petróleo e gás, no sector da agro-pecuária, do turismo, da cultura e outros, das quais pretendem obter resultados mutuamente vantajosos e com um impacto directo na melhoria das condições de vida das populações.

A agenda do segundo e último dia de visita ficou ainda marcada com uma visita guiada à sede da Zona do Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), bem como audiências a entidades e empresários locais.

O programa do Presidente angolano, cuja delegação integrou, entre outros, os ministros das Relações Exteriores, da Indústria e Comércio, da Agricultura e Pescas, Recurso Minerais e Gaz, incluiu ainda um encontro em privado com o seu homólogo Nana Akoufo-Addo e uma homenagem ao pan-africanista Kwame Krumah.

O último dia de visita do Chefe de Estado angolano, que deixa a capital ghanense na quarta-feira, ficou marcado pela participação no Fórum de Negócios e de Investimento de Angola, evento em que destacou as potencialidades económicas do país.

Ao intervir no fórum, que reuniu homens de negócios de vários países da região Ocidental de África, para além de convidar os empresários e investirem em Angola, afirmou que o governo está a criar medidas fundamentais para tornar o ambiente de negócios mais atractivo, previsível e seguro.

Encorajou e convidou os empresários a encararem as oportunidades de investimentos que o país oferece em vários domínios, nomeadamente nas áreas da agropecuária, silvicultura, pescas, recursos minerais, indústria transformadora, comércio, energia e águas, construção, transportes, telecomunicações, hotelaria e turismo, entre outros.

Num outro domínio, afirmou que Angola e o Ghana enfrentam o desafio do desenvolvimento económico e social, razão pela qual as matérias primas de que dispõem devem ser transformadas localmente, garantindo valor acrescentado para os tornar mais competitivos no mercado internacional e, sobretudo, para criar postos de trabalho.

O estadista angolano participou, igualmente, numa sessão especial no parlamento, onde fez uma abordagem sobre o histórico da cooperação entre os dois países.

Manifestou-se, de igual modo, convicto de que os dois países podem atingir os fins preconizados no âmbito da cooperação, optimizando a utilização dos importantes mecanismos de que a África dispõe, para potenciar os seus recursos e obter resultados tangíveis no quadro da Zona de Comércio Livre do Continente Africano (ZCLCA), com vista a promover os investimentos e negócios impulsionadores do desenvolvimento.

De acordo com João Lourenço, foram identificadas as áreas em que os dois dois países vão implementar acções de cooperação, nomeadamente no sector da exploração de petróleo e gás, no sector da agro-pecuária, do turismo, da cultura e outros, das quais pretendem obter resultados mutuamente vantajosos e com um impacto directo na melhoria das condições de vida das populações.

A agenda do segundo e último dia de visita ficou ainda marcada com uma visita guiada à sede da Zona do Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), bem como audiências a entidades e empresários locais.

O programa do Presidente angolano, cuja delegação integrou, entre outros, os ministros das Relações Exteriores, da Indústria e Comércio, da Agricultura e Pescas, Recurso Minerais e Gaz, incluiu ainda um encontro em privado com o seu homólogo Nana Akoufo-Addo e uma homenagem ao pan-africanista Kwame Krumah.