Presidente angolano e SG da ONU abordam situação nos Grandes Lagos

  • Presidente da República de Angola, João Lourenço
Luanda - O Chefe de Estado angolano e Presidente em exercício da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), João Lourenço, abordou esta terça-feira com o secretário-geral da ONU, António Guterres, a situação de segurança nessa zona.

Uma nota da Secretaria para os Assuntos de Comunicação Institucional e Imprensa do Presidente da República refere que a conversa, por telefone, entre o Estadista angolano e o líder das Nações Unidas incidiu sobre os recentes acontecimentos na República Centro Africana (RCA).

Na sexta-feira passada, o Presidente angolano recebeu uma mensagem do seu homólogo da RCA, Faustin Archange Touadéra, de que foi portador a ministra da Defesa e da Reconstrução do Exército desse país, Marie Noelle Koyara.

No final da audiência, em declarações à imprensa, a enviada especial do Chefe de Estado centro-africano considerou calma a situação política e militar no seu país, sublinhado que o Governo da RCA está decidido a contrapor as acções dos grupos armados.

A situação política e de segurança na RCA, país membro da CIRGL, deteriorou-se após as eleições presidenciais de Dezembro último, provocando a fuga de vários cidadãos centro-africanos para os países vizinhos Tchad, Camarões, República do Congo e República Democrática do Congo (RDC).

A cidade de Bangui, capital do país, tem sido palco de ataques de grupos armados que contestam os resultados das eleições presidenciais de 27 de Dezembro último, consideradas “livres e justas” pela comunidade internacional, e ganhas pelo Presidente Faustin Archange Touadera, sendo reeleito na primeira volta com 53,92 por cento dos votos.

As eleiçõesa foram consideradas “livres e justas” pela comunidade internacional.  

 

Uma nota da Secretaria para os Assuntos de Comunicação Institucional e Imprensa do Presidente da República refere que a conversa, por telefone, entre o Estadista angolano e o líder das Nações Unidas incidiu sobre os recentes acontecimentos na República Centro Africana (RCA).

Na sexta-feira passada, o Presidente angolano recebeu uma mensagem do seu homólogo da RCA, Faustin Archange Touadéra, de que foi portador a ministra da Defesa e da Reconstrução do Exército desse país, Marie Noelle Koyara.

No final da audiência, em declarações à imprensa, a enviada especial do Chefe de Estado centro-africano considerou calma a situação política e militar no seu país, sublinhado que o Governo da RCA está decidido a contrapor as acções dos grupos armados.

A situação política e de segurança na RCA, país membro da CIRGL, deteriorou-se após as eleições presidenciais de Dezembro último, provocando a fuga de vários cidadãos centro-africanos para os países vizinhos Tchad, Camarões, República do Congo e República Democrática do Congo (RDC).

A cidade de Bangui, capital do país, tem sido palco de ataques de grupos armados que contestam os resultados das eleições presidenciais de 27 de Dezembro último, consideradas “livres e justas” pela comunidade internacional, e ganhas pelo Presidente Faustin Archange Touadera, sendo reeleito na primeira volta com 53,92 por cento dos votos.

As eleiçõesa foram consideradas “livres e justas” pela comunidade internacional.