Presidente da República a caminho de Nova Iorque

  • Presidente da República, João Lourenço (arquivo)
Washington (Dos enviados especiais) – O Presidente da República, João Lourenço, deixou Washington esta quarta-feira, com destino a Nova Iorque, onde quinta-feira (23) discursa no debate da 76ª sessão da Assembleia geral das Nações Unidas.

O Estadista angolano será o quinto orador do dia na maior tribuna multilateral global, aberta terça-feira e com término no dia 27 do corrente mês.

João Lourenço chegou aos Estados Unidos no sábado, escalou Washington, onde foi homenageado pela Fundação Internacional para a Conservação do Ambiente (ICCF), durante a Gala Anual desta organização, pelas suas iniciativas em prol da conservação ambiental mundial, recebendo um prémio da organização.

Na capital dos EUA, desenvolveu várias actividades, entre as quais uma visita ao Museu de História Afro-Americana, onde dialogou com descendentes de escravos idos de Angola há mais de 400 anos e estabelecidos no estado vizinho da Virgínia.

Os afro-descendentes tiveram participação relevante na formação dos Estados Unidos da América.

O Chefe de Estado concedeu várias audiências, com destaque para o conselheiro de Segurança Nacional do Presidente dos Estados Unidos, Jake Sullivan, a líder da Câmara dos Representantes, Nancy Polosi, o Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Robert Menendez, e o  Presidente do Comité de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes, Gregory Meeks.

Concedeu, igualmente, uma entrevista ao jornal “The Washington Post”, o segundo maior diário do país depois do “New York Times”, durante a qual abordou vários temas da actualidade política, económica e social de Angola, entre outros.

O Estadista angolano será o quinto orador do dia na maior tribuna multilateral global, aberta terça-feira e com término no dia 27 do corrente mês.

João Lourenço chegou aos Estados Unidos no sábado, escalou Washington, onde foi homenageado pela Fundação Internacional para a Conservação do Ambiente (ICCF), durante a Gala Anual desta organização, pelas suas iniciativas em prol da conservação ambiental mundial, recebendo um prémio da organização.

Na capital dos EUA, desenvolveu várias actividades, entre as quais uma visita ao Museu de História Afro-Americana, onde dialogou com descendentes de escravos idos de Angola há mais de 400 anos e estabelecidos no estado vizinho da Virgínia.

Os afro-descendentes tiveram participação relevante na formação dos Estados Unidos da América.

O Chefe de Estado concedeu várias audiências, com destaque para o conselheiro de Segurança Nacional do Presidente dos Estados Unidos, Jake Sullivan, a líder da Câmara dos Representantes, Nancy Polosi, o Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Robert Menendez, e o  Presidente do Comité de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes, Gregory Meeks.

Concedeu, igualmente, uma entrevista ao jornal “The Washington Post”, o segundo maior diário do país depois do “New York Times”, durante a qual abordou vários temas da actualidade política, económica e social de Angola, entre outros.