Presidente da República lamenta morte de Bouteflika

  • Presidente da República, João Lourenço
Washington (Dos enviados especiais) – O Presidente da República, João Lourenço, manifestou, este sábado, “profunda consternação” pelo falecimento, na sexta-feira, por doença, do antigo Presidente da Argélia, Abdelaziz Bouteflika.

Numa mensagem de condolências endereçada ao Presidente da Argélia, Abdelmadjid Tebboune, o Chefe de Estado angolano afirma que a morte de Bouteflika deixa um lastro de tristeza no seio da sociedade argelina.

João Lourenço considera o antigo estadista, que morreu aos 84, como uma “figura notável da luta de libertação anti-colonial desse território mahgrebino”.

Segundo João Lourenço, o malogrado será lembrado sobretudo pelos combatentes da sua geração pela valentia e coragem, qualidades que lhe permitiram desempenhar, no pós-Independência, funções relevantes no aparelho de Estado da República Democrática e Popular da Argélia.

“Exprimo profundas condolências ao Governo, ao Povo e à família enlutada, convicto de que o legado de Abdelaziz Bouteflika continuará a inspirar as gerações de patriotas da nação argelina”, refere a nota de condolências chegada à ANGOP.

Bouteflika lutou pela independência da Argélia nos anos 50 e 60 e governou o país durante 20 anos, até à sua demissão em 2019.

Eleito pela primeira vez em 1999, Bouteflika foi reeleito em 2004, 2009 e 2014.

Numa mensagem de condolências endereçada ao Presidente da Argélia, Abdelmadjid Tebboune, o Chefe de Estado angolano afirma que a morte de Bouteflika deixa um lastro de tristeza no seio da sociedade argelina.

João Lourenço considera o antigo estadista, que morreu aos 84, como uma “figura notável da luta de libertação anti-colonial desse território mahgrebino”.

Segundo João Lourenço, o malogrado será lembrado sobretudo pelos combatentes da sua geração pela valentia e coragem, qualidades que lhe permitiram desempenhar, no pós-Independência, funções relevantes no aparelho de Estado da República Democrática e Popular da Argélia.

“Exprimo profundas condolências ao Governo, ao Povo e à família enlutada, convicto de que o legado de Abdelaziz Bouteflika continuará a inspirar as gerações de patriotas da nação argelina”, refere a nota de condolências chegada à ANGOP.

Bouteflika lutou pela independência da Argélia nos anos 50 e 60 e governou o país durante 20 anos, até à sua demissão em 2019.

Eleito pela primeira vez em 1999, Bouteflika foi reeleito em 2004, 2009 e 2014.