Presidente da UNITA defende compromisso nacional com as autarquias

  • Presidente da UNITA discursa na comemoração do aniversário natalício de Savimbi
Benguela – O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, defendeu este sábado, em Benguela, coragem política e o compromisso nacional para a realização das primeiras eleições autárquicas no país.

Adalberto Costa Júnior falava no acto comemorativo ao 87º aniversário do presidente fundador da UNITA, Jonas Malheiro Savimbi, realizado no largo do liceu "Comandante Kassanji", na cidade de Benguela.

Na sua intervenção, o presidente da UNITA considerou as autarquias, como uma absoluta necessidade nacional para o benefício dos angolanos, daí sublinhar que é preciso coragem para que esse desiderato seja retomado e concretizado.

“As eleições locais são importantes para o país e um caminho a percorrer para a estabilidade e dignidade”, frisou, referindo que o governo local é de proximidade, para com os cidadãos e trata com maior eficiência das questões sociais, como é o caso da saúde.

O político lamentou que a pandemia da Covid-19 tenha travado o cumprimento de metas estratégicas para o país, como as eleições autárquicas, inicialmente previstas para 2020, mas que acabaram por não se realizar, por falta de condições.

Evocou que não há no mundo nenhum país desenvolvido, que tenha passado ao lado do poder local, e encorajou o MPLA, enquanto partido que sustenta o governo, a não perder a oportunidade histórica de realizar as primeiras eleições autárquicas do país.

Por outro lado, chamou a atenção das lideranças dos partidos políticos no país para a busca de diálogo, para o aprofundamento da democracia e a preservação da paz, conquistada em 2002, ressaltando que a UNITA e o MPLA têm responsabilidades acrescidas.

O líder do partido do Galo Negro apelou também os militantes, para o respeito às diferenças políticas, para afastar da sociedade os casos de intolerância política que, a seu ver, são frequentes nos municípios do Bocoio, Cubal e Ganda, na província de Benguela.

Relativamente à obra de Jonas Savimbi, destacou primeiro a criação do próprio partido, a 13 de Março de 1966, em Muanguai, na província do Moxico, e o investimento na formação político-ideológica dos quadros da organização.

Para o líder do partido, Jonas Savimbi deixou, como grande lição, um partido com uma identidade concreta que valoriza a diversidade cultural, a étnica e a linguística de Angola.

Político e líder fundador da UNITA, Jonas Savimbi participou da luta contra o colonialismo português e morreu em combate a 22 de Fevereiro de 2002, perto de Lucusse, na província do Moxico, o que ditou a assinatura dos acordos de paz do Luena, a 4 de Abril de 2002.

Para a implementação das autarquias locais, Angola tem já aprovadas oito leis do Pacote Legislativo Autárquico, faltando apenas o diploma sobre a Institucionalização das Autarquias, ainda por agendar pela Assembleia Nacional.

Adalberto Costa Júnior falava no acto comemorativo ao 87º aniversário do presidente fundador da UNITA, Jonas Malheiro Savimbi, realizado no largo do liceu "Comandante Kassanji", na cidade de Benguela.

Na sua intervenção, o presidente da UNITA considerou as autarquias, como uma absoluta necessidade nacional para o benefício dos angolanos, daí sublinhar que é preciso coragem para que esse desiderato seja retomado e concretizado.

“As eleições locais são importantes para o país e um caminho a percorrer para a estabilidade e dignidade”, frisou, referindo que o governo local é de proximidade, para com os cidadãos e trata com maior eficiência das questões sociais, como é o caso da saúde.

O político lamentou que a pandemia da Covid-19 tenha travado o cumprimento de metas estratégicas para o país, como as eleições autárquicas, inicialmente previstas para 2020, mas que acabaram por não se realizar, por falta de condições.

Evocou que não há no mundo nenhum país desenvolvido, que tenha passado ao lado do poder local, e encorajou o MPLA, enquanto partido que sustenta o governo, a não perder a oportunidade histórica de realizar as primeiras eleições autárquicas do país.

Por outro lado, chamou a atenção das lideranças dos partidos políticos no país para a busca de diálogo, para o aprofundamento da democracia e a preservação da paz, conquistada em 2002, ressaltando que a UNITA e o MPLA têm responsabilidades acrescidas.

O líder do partido do Galo Negro apelou também os militantes, para o respeito às diferenças políticas, para afastar da sociedade os casos de intolerância política que, a seu ver, são frequentes nos municípios do Bocoio, Cubal e Ganda, na província de Benguela.

Relativamente à obra de Jonas Savimbi, destacou primeiro a criação do próprio partido, a 13 de Março de 1966, em Muanguai, na província do Moxico, e o investimento na formação político-ideológica dos quadros da organização.

Para o líder do partido, Jonas Savimbi deixou, como grande lição, um partido com uma identidade concreta que valoriza a diversidade cultural, a étnica e a linguística de Angola.

Político e líder fundador da UNITA, Jonas Savimbi participou da luta contra o colonialismo português e morreu em combate a 22 de Fevereiro de 2002, perto de Lucusse, na província do Moxico, o que ditou a assinatura dos acordos de paz do Luena, a 4 de Abril de 2002.

Para a implementação das autarquias locais, Angola tem já aprovadas oito leis do Pacote Legislativo Autárquico, faltando apenas o diploma sobre a Institucionalização das Autarquias, ainda por agendar pela Assembleia Nacional.