Presidente angolano na reunião do CS da ONU sobre a RCA

  • Presidente da República, João Lourenço
Luanda – O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, viaja esta segunda-feira para Nova Iorque, a fim de participar na sessão especial do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a situação na República Centro Africana (RCA).

João Lourenço desloca-se à sede da ONU na qualidade de Presidente da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), de acordo com o seu porta-voz, Luís Fernando.

O porta-voz do Presidente da República disse que o estadista angolano ausenta-se do país por alguns dias para trabalhar em prol da diplomacia africana, da paz e da estabilidade na regão dos Grandes Lagos, concretamente na RCA.

Angola assume a presidência rotativa da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos desde Novembro de 2020.

Durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU, prevista para quarta-feira, João Lourenço fará o ponto de situação do que tem estado a ser feito, sob liderança de Angola, no esforço colectivo de procura da paz e segurança na RCA.

Em Janeiro e Abril do corrente ano, realizaram-se em Luanda duas mini-cimeiras, por iniciativa da presidência angolana da CIRGL, eventos a que se seguiram três outras reuniões de ministros dos Negócios Estrangeiros de Angola, Rwanda e da RCA, em Maio e Junho, em Bangui (RCA), visando harmonizar ideias e posições para a implementação de um roteiro que conduza à paz.

Na RCA, as autoridades debatem-se, entre outros grandes desafios, com a presença de forças negativas de várias tendências, ideologias e matrizes, bem como o drama de não poder adquirir armas, devido a um embargo decretado pelo Conselho de Segurança da ONU.

A República Centro Africana tem no seu território a Missão de Estabilização Multidimensional Integrada das Nações Unidas (MINUSCA), aprovada em 2014.

De acordo com o porta-voz Luís Fernando, "são vários os pronunciamentos do Presidente João Lourenço, que tem  advogado abertamente" o fim do embargo de armas decretado à RCA.

 

João Lourenço desloca-se à sede da ONU na qualidade de Presidente da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), de acordo com o seu porta-voz, Luís Fernando.

O porta-voz do Presidente da República disse que o estadista angolano ausenta-se do país por alguns dias para trabalhar em prol da diplomacia africana, da paz e da estabilidade na regão dos Grandes Lagos, concretamente na RCA.

Angola assume a presidência rotativa da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos desde Novembro de 2020.

Durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU, prevista para quarta-feira, João Lourenço fará o ponto de situação do que tem estado a ser feito, sob liderança de Angola, no esforço colectivo de procura da paz e segurança na RCA.

Em Janeiro e Abril do corrente ano, realizaram-se em Luanda duas mini-cimeiras, por iniciativa da presidência angolana da CIRGL, eventos a que se seguiram três outras reuniões de ministros dos Negócios Estrangeiros de Angola, Rwanda e da RCA, em Maio e Junho, em Bangui (RCA), visando harmonizar ideias e posições para a implementação de um roteiro que conduza à paz.

Na RCA, as autoridades debatem-se, entre outros grandes desafios, com a presença de forças negativas de várias tendências, ideologias e matrizes, bem como o drama de não poder adquirir armas, devido a um embargo decretado pelo Conselho de Segurança da ONU.

A República Centro Africana tem no seu território a Missão de Estabilização Multidimensional Integrada das Nações Unidas (MINUSCA), aprovada em 2014.

De acordo com o porta-voz Luís Fernando, "são vários os pronunciamentos do Presidente João Lourenço, que tem  advogado abertamente" o fim do embargo de armas decretado à RCA.