Enaltecido contributo dos jornalistas na consolidação da pátria

  • Secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Albino Caldas
Luanda - O secretário de Estado da Comunicação Social, Nuno Caldas Albino, enalteceu, esta segunda-feira, em Luanda, os jornalistas angolanos pelo seu contributo e engajamento na consolidação da pátria.

Ao discursar na abertura do Primeiro Curso de Defesa Nacional para profissionais da Comunicação, disse que os jornalistas angolanos, desde a independência, promoveram a concórdia, a reunificação das famílias e o processo de reconciliação.     

Recordou que os profissionais da comunicação social sempre assumiram um papel de vanguarda e de combatentes, na produção de notícias com conteúdo patriótico e de consciência para a defesa da pátria. 

"Os jornalistas foram forjados nos campos de batalha, ao longo da história do país, e contribuíram para a transmissão de mensagens positivas, de esperança e de confiança, em nome da nação", defendeu. 

Referiu que, no actual contexto, a comunicação social não pode estar isenta do novo paradigma, virado para o combate à corrupção, moralização da sociedade e resgate dos valores morais e éticos. 

Para Nuno Albino, o conceito de defesa nacional não é uma expressão meramente militar, deve estar na consciência de todos os cidadãos comprometidos com a construção da nação, preservação da paz, da estabilidade e das grandes conquistas alcançadas pelo povo angolano. 

Cerca de 70 jornalistas, de várias empresas da Comunicação Social, participam do curso, com duração de duas semanas e que está a ser ministrado pelo Instituto de Defesa Nacional.

Ao discursar na abertura do Primeiro Curso de Defesa Nacional para profissionais da Comunicação, disse que os jornalistas angolanos, desde a independência, promoveram a concórdia, a reunificação das famílias e o processo de reconciliação.     

Recordou que os profissionais da comunicação social sempre assumiram um papel de vanguarda e de combatentes, na produção de notícias com conteúdo patriótico e de consciência para a defesa da pátria. 

"Os jornalistas foram forjados nos campos de batalha, ao longo da história do país, e contribuíram para a transmissão de mensagens positivas, de esperança e de confiança, em nome da nação", defendeu. 

Referiu que, no actual contexto, a comunicação social não pode estar isenta do novo paradigma, virado para o combate à corrupção, moralização da sociedade e resgate dos valores morais e éticos. 

Para Nuno Albino, o conceito de defesa nacional não é uma expressão meramente militar, deve estar na consciência de todos os cidadãos comprometidos com a construção da nação, preservação da paz, da estabilidade e das grandes conquistas alcançadas pelo povo angolano. 

Cerca de 70 jornalistas, de várias empresas da Comunicação Social, participam do curso, com duração de duas semanas e que está a ser ministrado pelo Instituto de Defesa Nacional.