União Africana incentiva Estados Membros ao preenchimento de vagas

  • Embaixador Francisco da Cruz (Arquivo)
Luanda – A Comissão da União Africana (CUA) endereçou, segunda-feira, uma Nota Verbal aos Representantes Permanentes junto da União Africana, com informações de vagas e prazos para candidaturas, no seu site de carreiras http://careers.au.int

A CUA recorda aos Estados Membros a Decisão saída da 20ª Sessão Extraordinária do Conselho Executivo da UA, realizada em Addis-Abeba, Etiópia, de 14 a 15 de Novembro de 2018, solicitando à Comissão a anunciar e divulgar, adequadamente, as vagas destinadas aos cidadãos dos Estados Membros.

De acordo com o documento, até 18 de Maio podem ser apresentadas candidaturas a Director de Economia Sustentável e Azul, do Departamento para Agricultura, Desenvolvimento Rural, Economia Azul e Meio Ambiente Sustentável, assim como a direcção de Infra-estrutura e Energia, do mesmo departamento.

Estão igualmente abertas propostas a Directores de Gestão de Conflitos e de Governação e Prevenção de Conflitos, ambos do Departamento para Assuntos Políticos, Paz e Segurança, bem como para Secretário da Comissão da UA (com categoria de Director), avança em nota o Serviço de Imprensa da Representação Permanente de Angola Junto da União Africana.

Os Serviços de Protocolo têm disponível o cargo de Director de Protocolo, as Finanças o de Director de Finanças, enquanto o Gabinete de Gestão e Publicação de Conferência o de Director de Gestão e Publicação de Conferência.

As posições de Director-Geral e de Director dos Recursos Humanos foram abertas para concurso público a 31 de Março de 2021. Existem um total de dezanove vagas adicionais para Director, das quais oito foram publicadas a 18 de Abril e as restantes serão na próxima sexta-feira.

Na perspectiva de inserção de um maior número de quadros angolanos na UA, decorreu hoje uma reunião virtual, envolvendo a Representação Permanente de Angola junto da organização continental e a Academia Diplomática "Venâncio de Moura", instituição que, segundo o embaixador Francisco José da Cruz, pode desempenhar um papel importante na materialização daquele objectivo estratégico do Executivo.

O encontro, no qual participou o director da Academia, embaixador José Guerreiro Alves Primo, enquadrou-se na discussão de uma estratégia de identificação e preparação de candidatos angolanos, com vista a obtenção de êxitos nos diferentes concursos de admissão a cargos na UA, um processo muito competitivo entre os Estados membros, que privilegia o mérito e a competência.

Um evento do género, promovido pela Representação Permanente de Angola junto da UA e a Direcção África, Médio Oriente e Organizações Regionais do Ministério das Relações Exteriores, aconteceu a 9 do corrente mês, com responsáveis de diferentes ministérios, tendo sido abordadas as oportunidades de admissão de quadros nacionais às 74 vagas, a que o país passa a ter direito na organização continental.

A nova realidade surge na sequência da realização da 38ª Sessão Ordinária do Conselho Executivo, realizada em Fevereiro último, na qual os chefes das diplomacias africanas aprovaram o novo sistema de quotas, permitindo que Angola transite das anteriores trinta e nove (39) vagas, para setenta e quatro (74).

Angola é um dos maiores contribuintes para o orçamento estatutário da UA, a par da Argélia, Egipto, Marrocos e Nigéria, porém está sub-representada nas estruturas da organização continental, com apenas cinco (5) funcionários efectivos na Comissão da União Africana (CUA), colidindo com a regra que privilegia os maiores financiadores para o preenchimento de vagas.

No Discurso à Nação, a 15 de Outubro de 2020, o Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, frisou a questão da inserção dos quadros angolanos nas organizações Internacionais e regionais, no contexto da política externa de Angola.

Esse pronunciamento coincidiu com a aprovação pelo Conselho Executivo da UA de uma decisão de Outubro de 2020, relacionada com a operacionalização da primeira fase do Plano de Transição, da antiga para a nova estrutura da UA, para o segundo semestre de presente ano, que prevê o preenchimento de 78 vagas a nível do cargo de directores e chefes de divisão.

Como principais requisitos para ambos os casos exige-se o grau académico mínimo de mestrado, idade entre os 32 e 60 anos, domínio fluente de pelo menos duas línguas de trabalho da organização (Português, Inglês, Francês, Árabe, Swahili).

Por outro lado, a Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA) anunciou que possui vagas para chefe de Secção do Centro Africano de Política Climática (até 30/5), Director de Divisão de Desenvolvimento e Finanças do Sector Privado (29/5), Director de Assuntos Económicos (27/5), Chefe de Secção de Publicações e Gerenciamento de Conferência (15/5) de Conselheiro Regional Sénior de Capital Natural (26/4) e Director de Gestão de Contratos (22/4).

A CUA recorda aos Estados Membros a Decisão saída da 20ª Sessão Extraordinária do Conselho Executivo da UA, realizada em Addis-Abeba, Etiópia, de 14 a 15 de Novembro de 2018, solicitando à Comissão a anunciar e divulgar, adequadamente, as vagas destinadas aos cidadãos dos Estados Membros.

De acordo com o documento, até 18 de Maio podem ser apresentadas candidaturas a Director de Economia Sustentável e Azul, do Departamento para Agricultura, Desenvolvimento Rural, Economia Azul e Meio Ambiente Sustentável, assim como a direcção de Infra-estrutura e Energia, do mesmo departamento.

Estão igualmente abertas propostas a Directores de Gestão de Conflitos e de Governação e Prevenção de Conflitos, ambos do Departamento para Assuntos Políticos, Paz e Segurança, bem como para Secretário da Comissão da UA (com categoria de Director), avança em nota o Serviço de Imprensa da Representação Permanente de Angola Junto da União Africana.

Os Serviços de Protocolo têm disponível o cargo de Director de Protocolo, as Finanças o de Director de Finanças, enquanto o Gabinete de Gestão e Publicação de Conferência o de Director de Gestão e Publicação de Conferência.

As posições de Director-Geral e de Director dos Recursos Humanos foram abertas para concurso público a 31 de Março de 2021. Existem um total de dezanove vagas adicionais para Director, das quais oito foram publicadas a 18 de Abril e as restantes serão na próxima sexta-feira.

Na perspectiva de inserção de um maior número de quadros angolanos na UA, decorreu hoje uma reunião virtual, envolvendo a Representação Permanente de Angola junto da organização continental e a Academia Diplomática "Venâncio de Moura", instituição que, segundo o embaixador Francisco José da Cruz, pode desempenhar um papel importante na materialização daquele objectivo estratégico do Executivo.

O encontro, no qual participou o director da Academia, embaixador José Guerreiro Alves Primo, enquadrou-se na discussão de uma estratégia de identificação e preparação de candidatos angolanos, com vista a obtenção de êxitos nos diferentes concursos de admissão a cargos na UA, um processo muito competitivo entre os Estados membros, que privilegia o mérito e a competência.

Um evento do género, promovido pela Representação Permanente de Angola junto da UA e a Direcção África, Médio Oriente e Organizações Regionais do Ministério das Relações Exteriores, aconteceu a 9 do corrente mês, com responsáveis de diferentes ministérios, tendo sido abordadas as oportunidades de admissão de quadros nacionais às 74 vagas, a que o país passa a ter direito na organização continental.

A nova realidade surge na sequência da realização da 38ª Sessão Ordinária do Conselho Executivo, realizada em Fevereiro último, na qual os chefes das diplomacias africanas aprovaram o novo sistema de quotas, permitindo que Angola transite das anteriores trinta e nove (39) vagas, para setenta e quatro (74).

Angola é um dos maiores contribuintes para o orçamento estatutário da UA, a par da Argélia, Egipto, Marrocos e Nigéria, porém está sub-representada nas estruturas da organização continental, com apenas cinco (5) funcionários efectivos na Comissão da União Africana (CUA), colidindo com a regra que privilegia os maiores financiadores para o preenchimento de vagas.

No Discurso à Nação, a 15 de Outubro de 2020, o Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, frisou a questão da inserção dos quadros angolanos nas organizações Internacionais e regionais, no contexto da política externa de Angola.

Esse pronunciamento coincidiu com a aprovação pelo Conselho Executivo da UA de uma decisão de Outubro de 2020, relacionada com a operacionalização da primeira fase do Plano de Transição, da antiga para a nova estrutura da UA, para o segundo semestre de presente ano, que prevê o preenchimento de 78 vagas a nível do cargo de directores e chefes de divisão.

Como principais requisitos para ambos os casos exige-se o grau académico mínimo de mestrado, idade entre os 32 e 60 anos, domínio fluente de pelo menos duas línguas de trabalho da organização (Português, Inglês, Francês, Árabe, Swahili).

Por outro lado, a Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA) anunciou que possui vagas para chefe de Secção do Centro Africano de Política Climática (até 30/5), Director de Divisão de Desenvolvimento e Finanças do Sector Privado (29/5), Director de Assuntos Económicos (27/5), Chefe de Secção de Publicações e Gerenciamento de Conferência (15/5) de Conselheiro Regional Sénior de Capital Natural (26/4) e Director de Gestão de Contratos (22/4).