União Africana quer reduzir riscos de desastres naturais no continente

  • Josefa Sacko, comissária da UA para Agricultura, Desenvolvimento Rural, Economia Azul e Ambiente Sustentável
Luanda - A comissária da União Africana (UA) Josefa Sacko afirmou, esta terça-feira, em Ohrid (Macedónia do Norte), que a organização continental está a trabalhar no sentido de fornecer apoio técnico aos estados membros para a implementação do programa de acção para redução do risco de desastres em África (2015-2030).

Segundo uma nota da União Africana (UA), a que a ANGOP teve acesso, Josefa Sacko, que falava na cerimónia de abertura da 19ª edição do exercício de gestão de consequências de emergência civil, organizado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), disse que o apoio técnico aos estados membros inclui o estabelecimento do aviso prévio com base no impacto para acções precoces em função da gestão de risco transfronteiriço.

A comissária da UA informou que, para efeito, o continente africano prepara-se para estabelecer um “multi-hazards”, sala de controle de desastres, em Addis Abeba, para facilitar as acções de alerta precoce e melhorar a resposta a desastres, bem como fortalecer como recurso das ERS e dos estados membros para lidar com este fenómeno.

Josefa Sacko, que participou no evento na qualidade de enviada especial da União Africana, considerou de extrema importância a experiência da organização europeia para poder ajudar o continente nas acções de resposta a desastres.

O exercício de gestão de consequências de emergência civil da OTAN tem como objectivo a demonstração da capacidade de resposta institucional e apoiar a República da  Macedónia do Norte a construir resiliência por meio de preparação para desastres e fortalecer a capacidade de gerenciar as emergências.

Segundo uma nota da União Africana (UA), a que a ANGOP teve acesso, Josefa Sacko, que falava na cerimónia de abertura da 19ª edição do exercício de gestão de consequências de emergência civil, organizado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), disse que o apoio técnico aos estados membros inclui o estabelecimento do aviso prévio com base no impacto para acções precoces em função da gestão de risco transfronteiriço.

A comissária da UA informou que, para efeito, o continente africano prepara-se para estabelecer um “multi-hazards”, sala de controle de desastres, em Addis Abeba, para facilitar as acções de alerta precoce e melhorar a resposta a desastres, bem como fortalecer como recurso das ERS e dos estados membros para lidar com este fenómeno.

Josefa Sacko, que participou no evento na qualidade de enviada especial da União Africana, considerou de extrema importância a experiência da organização europeia para poder ajudar o continente nas acções de resposta a desastres.

O exercício de gestão de consequências de emergência civil da OTAN tem como objectivo a demonstração da capacidade de resposta institucional e apoiar a República da  Macedónia do Norte a construir resiliência por meio de preparação para desastres e fortalecer a capacidade de gerenciar as emergências.