Unita deplora falta de saneamento no mercado da Xawande

Malanje- O secretário provincial da Unita em Malanje, Mardanês Calunga, manifestou hoje, sexta-feira, nesta cidade, a inquietação do partido quanto as condições impróprias de saneamento básico no mercado informal da Xawande, localizado no bairro Cangambo.

O referido mercado, o maior da cidade de Malanje, carece de vedação, bancadas e sobretudo de quartos de banho e água corrente, o que origina a produção de grandes quantidades de lixo e falta de limpeza, condições que de acordo com o político colocam em risco a vida dos vendedores e compradores.

 

O político apontou esta preocupação, durante um acto de massa realizado no interior do referido mercado, que visou sensibilizar os cidadãos para adesão ao registo eleitoral.

 

Lamentou o facto de os vendedores pagarem uma taxa diária de 150 kwanzas que serviriam para garantir a manutenção e serviços auxiliares na unidade e reflectir directamente na melhoria da vida dos contribuintes.

 

Entretanto, apelou aos vendedores no sentido de solicitarem ao governo provincial a criação das condições necessárias para o melhor funcionamento do mercado e bem-estar dos seus utentes, com destaque para água e quartos de banho.

 

Por outro lado, reforçou o apelo aos cidadãos no sentido de efectuarem a actualização do registo eleitoral, evitando esperar pelos últimos dias, pois isso constitui condição principal para o exercício do voto nas eleições de 2022.

 

Lembrou que é através do voto que se escolhe o partido que governa, por isso é imperioso que os vendedores reservem um dia para se deslocar ao BUAP (Balcão Único de Atendimento ao Público), na administração municipal de Malanje a fim de fazer o registo eleitoral.

 

 

O referido mercado, o maior da cidade de Malanje, carece de vedação, bancadas e sobretudo de quartos de banho e água corrente, o que origina a produção de grandes quantidades de lixo e falta de limpeza, condições que de acordo com o político colocam em risco a vida dos vendedores e compradores.

 

O político apontou esta preocupação, durante um acto de massa realizado no interior do referido mercado, que visou sensibilizar os cidadãos para adesão ao registo eleitoral.

 

Lamentou o facto de os vendedores pagarem uma taxa diária de 150 kwanzas que serviriam para garantir a manutenção e serviços auxiliares na unidade e reflectir directamente na melhoria da vida dos contribuintes.

 

Entretanto, apelou aos vendedores no sentido de solicitarem ao governo provincial a criação das condições necessárias para o melhor funcionamento do mercado e bem-estar dos seus utentes, com destaque para água e quartos de banho.

 

Por outro lado, reforçou o apelo aos cidadãos no sentido de efectuarem a actualização do registo eleitoral, evitando esperar pelos últimos dias, pois isso constitui condição principal para o exercício do voto nas eleições de 2022.

 

Lembrou que é através do voto que se escolhe o partido que governa, por isso é imperioso que os vendedores reservem um dia para se deslocar ao BUAP (Balcão Único de Atendimento ao Público), na administração municipal de Malanje a fim de fazer o registo eleitoral.