UNITA exige eleições justas em 2022

  • Unita realiza marcha política no Moxico
Luena - A UNITA realizou, este sábado, uma manifestação na cidade do Luena, capital da província do Moxico, para exigir eleições livres, justas e transparentes em 2022.

A iniciativa surge na sequência de uma série de acções realizadas por este partido político, que se iniciaram no dia 11, com uma marcha na província de Luanda.

Em concreto, a UNITA exige que o Executivo angolano opte pelo apuramento municipal e provincial dos votos, ao invés de esperar que tudo seja divulgado a partir de Luanda.
 
Durante a actividade, decorrida defronte ao comité provincial do partido, o secretário provincial da UNITA, João Caweza, apelou a população a aderir ao acto de registo eleitoral, que poderá iniciar dentro de dias, para actualizar os cartões eleitorais.

Angola deve ir a eleições gerais em 2022, no cumprimento de um imperativo constitucional, que impõe a realização de sufrágios de cinco em cinco anos.

Nas últimas eleiçõess, em 2017, o partido  UNITA conseguiu 51 lugares no Parlamento, contra 150 do MPLA, vencedor do pleito
com maioria qualificada.

De resto, o MPLA venceu as eleições de 1992, de 2008, 2012 e 2017, em todas elas seguido pela UNITA em termos de votos.

 

A iniciativa surge na sequência de uma série de acções realizadas por este partido político, que se iniciaram no dia 11, com uma marcha na província de Luanda.

Em concreto, a UNITA exige que o Executivo angolano opte pelo apuramento municipal e provincial dos votos, ao invés de esperar que tudo seja divulgado a partir de Luanda.
 
Durante a actividade, decorrida defronte ao comité provincial do partido, o secretário provincial da UNITA, João Caweza, apelou a população a aderir ao acto de registo eleitoral, que poderá iniciar dentro de dias, para actualizar os cartões eleitorais.

Angola deve ir a eleições gerais em 2022, no cumprimento de um imperativo constitucional, que impõe a realização de sufrágios de cinco em cinco anos.

Nas últimas eleiçõess, em 2017, o partido  UNITA conseguiu 51 lugares no Parlamento, contra 150 do MPLA, vencedor do pleito
com maioria qualificada.

De resto, o MPLA venceu as eleições de 1992, de 2008, 2012 e 2017, em todas elas seguido pela UNITA em termos de votos.