UNITA exorta unidade no combate à pobreza

Luanda – O líder do grupo parlamentar da UNITA, Liberty Chiaka, exortou, nesta sexta-feira, à unidade dos angolanos no combate à pobreza e miséria.

Num acto político no município luandense do Cazenga que marcou o fim de quatro dias de jornadas parlamentares, Liberty Chiaka considerou necessário que todos contribuam para assegurar o bem-estar das populações.

Declarou que a mudança pelo bem-estar depende de cada um dos angolanos.

Das visitas realizadas pelos diferentes municípios de Luanda, o grupo parlamentar recomendou a melhoria do saneamento básico e da limpeza pública.

Foi igualmente recomendada a reabilitação, construção de vias secundárias e terciárias dos diferentes municípios da capital.

Entre as recomendações estão também a melhoria da assistência médica e medicamentosa, a reabilitação dos centros e postos médicos, assim como a melhoria do abastecimento de água à população.

Liberty Chiaka manifestou-se contra a cobrança de sete mil kwanzas para deposição de cadáveres em morgues públicas e questionou a falta de alimentação para doentes internados em hospitais públicos.

A UNITA tem 150 dos 220 deputados da Assembleia Nacional.

Num acto político no município luandense do Cazenga que marcou o fim de quatro dias de jornadas parlamentares, Liberty Chiaka considerou necessário que todos contribuam para assegurar o bem-estar das populações.

Declarou que a mudança pelo bem-estar depende de cada um dos angolanos.

Das visitas realizadas pelos diferentes municípios de Luanda, o grupo parlamentar recomendou a melhoria do saneamento básico e da limpeza pública.

Foi igualmente recomendada a reabilitação, construção de vias secundárias e terciárias dos diferentes municípios da capital.

Entre as recomendações estão também a melhoria da assistência médica e medicamentosa, a reabilitação dos centros e postos médicos, assim como a melhoria do abastecimento de água à população.

Liberty Chiaka manifestou-se contra a cobrança de sete mil kwanzas para deposição de cadáveres em morgues públicas e questionou a falta de alimentação para doentes internados em hospitais públicos.

A UNITA tem 150 dos 220 deputados da Assembleia Nacional.