UNITA reafirma compromisso de uma oposição construtiva

  • Huambo: Secretária provincial da Unita,  Albertina Navita Ngolo
Huambo – A secretária da UNITA na província do Huambo, Albertina Navita Ngolo, reafirmou hoje, sexta-feira, o compromisso desta formação política em promover uma oposição construtiva e capaz de contribuir no bem-estar da população.

A dirigente político-partidária disse à imprensa, no final de um encontro de cortesia com a governadora local, Lotti Nolika, que a UNITA vai continuar a privilegiar uma acção que contribua na busca de soluções para os problemas que afligem a população desta parcela do território nacional.

Conforme Albertina Navita Ngolo, o trabalho realizado nos 11 municípios permitiu constatar a existência de inúmeros problemas de natureza política, social e económica, que têm comprometido o desenvolvimento do Planalto Central e o bem-estar dos seus dois milhões, 519 mil e 309 habitantes.

No domínio político, disse ainda se registar a ocorrência de casos de intolerância política, consubstanciados em retiradas de bandeiras e destruição de comités, facto que tem inviabilizado a consolidação da democracia.

Sobre o sector social, Albertina Navita Ngolo disse que província ainda enfrenta grandes dificuldades, com destaque para a insuficiência na assistência médica e medicamentosa e a fraca qualidade, no seu entender, no processo de ensino/aprendizagem.

Disse ter apresentado à governadora um memorando com propostas e soluções, a fim de se mitigar o elevado nível de pobreza nas comunidades, agudizado pela pandemia da Covid-19, assim como as dificuldades no sector social e político, para a promoção do desenvolvimento da província.

No âmbito do programa de interacção com as instituições públicas e privadas da província, a secretária da UNITA visitou, quinta-feira, a Comissão Provincial Eleitoral.

A dirigente político-partidária disse à imprensa, no final de um encontro de cortesia com a governadora local, Lotti Nolika, que a UNITA vai continuar a privilegiar uma acção que contribua na busca de soluções para os problemas que afligem a população desta parcela do território nacional.

Conforme Albertina Navita Ngolo, o trabalho realizado nos 11 municípios permitiu constatar a existência de inúmeros problemas de natureza política, social e económica, que têm comprometido o desenvolvimento do Planalto Central e o bem-estar dos seus dois milhões, 519 mil e 309 habitantes.

No domínio político, disse ainda se registar a ocorrência de casos de intolerância política, consubstanciados em retiradas de bandeiras e destruição de comités, facto que tem inviabilizado a consolidação da democracia.

Sobre o sector social, Albertina Navita Ngolo disse que província ainda enfrenta grandes dificuldades, com destaque para a insuficiência na assistência médica e medicamentosa e a fraca qualidade, no seu entender, no processo de ensino/aprendizagem.

Disse ter apresentado à governadora um memorando com propostas e soluções, a fim de se mitigar o elevado nível de pobreza nas comunidades, agudizado pela pandemia da Covid-19, assim como as dificuldades no sector social e político, para a promoção do desenvolvimento da província.

No âmbito do programa de interacção com as instituições públicas e privadas da província, a secretária da UNITA visitou, quinta-feira, a Comissão Provincial Eleitoral.