Vice-presidente reconhece crescimento em municípios no Huambo

  • Vice-Presidente, Bornito de Sousa
Chicala-Cholohanga – O Vice-presidente da República, Bornito de Sousa, destacou neste sábado, o crescimento socio-económico dos municípios do Mungo e da Chicala-Cholohanga, província do Huambo, como resultado das políticas traçadas pelas estruturas centrais e locais do Estado.

Em declarações à imprensa no final da visita de trabalho de 72 horas à província do Huambo, sublinhou o empenho dos administradores municipais que têm sabido ultrapassar as dificuldades e a presença do género na liderança de alguns municípios.

"Constatamos com muito agrado o empenho dos administradores municipais, assim como o facto de alguns municípios, como Chicala-Cholohanga, serem dirigidos por mulheres", frisou.

Entre as acções em curso nos municípios, indicou os programas ligados à terraplenagem das vias e manutenção de estradas secundárias e terciárias.

Trata-se, principalmente, de estradas que ligam as sedes municipais às comunas e áreas de produção agrícola.

Quanto às dificuldades relacionadas com o abastecimento de água potável e energia eléctrica, disse que deverão ser solucionados no quadro dos programas de desenvolvimento em curso no país.

Ainda no quadro da deslocação à província do Huambo, o Vice-presidente da República ressaltou o facto de alguns projectos por si visitados estarem a ser desenvolvidos por empresários nacionais e estrangeiros.

Entre os referidos projectos indicou a Fazenda Mungo, no município com o mesmo nome, vocacionada à produção de abacate, além de outras três no município da Chicala-Cholohanga.

Referiu que dos três projectos agro-pecuários visitados na Chicala-Cholohanga, um deles resulta de um investimento da República Popular da China.

No município da Chicala-Cholohanga, o Vice-presidente constatou o funcionamento do aviário da Fazenda Audácia, com uma produção de oito mil ovos/dia, num universo de 11 mil e 249 frangos.

No mesmo município, Bornito de Sousa visitou uma fábrica de ração, que produz em média oito toneladas/dia, bem como a fazenda Giangzhou Agriculture.

A referida fazenda é um investimento chinês que, este ano, produziu oito mil e 206 toneladas de cereais, contra as oito mil e 260 de 2020.

Entre os cereais produzidos na fazenda estão oito mil toneladas de milho, 160 de soja, 100 arroz e outras não especificadas, mas que estão em fase experimental.

Por último, o Vice-presidente, que já regressou a Luanda, visitou a fazenda agro-pecuária “Tchela Matchati”, implantada numa área de 250 hectares, 75 dos quais destinadas à produção do ananás.

A fazenda está, igualmente, a produzir goiabas melhoradas, num regime experimental, numa área de dois hectares.

Outras valências da fazenda são a produção de limão, banana, abacate, cana-de-açúcar, maracujá, cebola, milho, mandioca, morango e criação de tilápia.

Ainda no município da Chicala-Cholohanga, Bornito de Sousa reuniu-se os membros do Conselho de Auscultação da Comunidade Local, à semelhança do aconteceu no Mungo.

A província do Huambo, possui  uma extensão territorial de 35 mil e 771 quilómetros quadrados e uma população estimada em dois milhões e 500 mil habitantes.

Localizada no Planalto Central de Angola,
a província possui os municípios do Bailundo, da Caála, do Cachiungo, da Chicala-Cholohanga, do Chinjenje, da Ecunha, do Huambo, do Londuimbali, Longonjo, Mungo e Ucuma.

A deslocação do Vice-presidente ao Huambo se quadra nas acções de acompanhamento das acções da Governação Local.

 

 

Em declarações à imprensa no final da visita de trabalho de 72 horas à província do Huambo, sublinhou o empenho dos administradores municipais que têm sabido ultrapassar as dificuldades e a presença do género na liderança de alguns municípios.

"Constatamos com muito agrado o empenho dos administradores municipais, assim como o facto de alguns municípios, como Chicala-Cholohanga, serem dirigidos por mulheres", frisou.

Entre as acções em curso nos municípios, indicou os programas ligados à terraplenagem das vias e manutenção de estradas secundárias e terciárias.

Trata-se, principalmente, de estradas que ligam as sedes municipais às comunas e áreas de produção agrícola.

Quanto às dificuldades relacionadas com o abastecimento de água potável e energia eléctrica, disse que deverão ser solucionados no quadro dos programas de desenvolvimento em curso no país.

Ainda no quadro da deslocação à província do Huambo, o Vice-presidente da República ressaltou o facto de alguns projectos por si visitados estarem a ser desenvolvidos por empresários nacionais e estrangeiros.

Entre os referidos projectos indicou a Fazenda Mungo, no município com o mesmo nome, vocacionada à produção de abacate, além de outras três no município da Chicala-Cholohanga.

Referiu que dos três projectos agro-pecuários visitados na Chicala-Cholohanga, um deles resulta de um investimento da República Popular da China.

No município da Chicala-Cholohanga, o Vice-presidente constatou o funcionamento do aviário da Fazenda Audácia, com uma produção de oito mil ovos/dia, num universo de 11 mil e 249 frangos.

No mesmo município, Bornito de Sousa visitou uma fábrica de ração, que produz em média oito toneladas/dia, bem como a fazenda Giangzhou Agriculture.

A referida fazenda é um investimento chinês que, este ano, produziu oito mil e 206 toneladas de cereais, contra as oito mil e 260 de 2020.

Entre os cereais produzidos na fazenda estão oito mil toneladas de milho, 160 de soja, 100 arroz e outras não especificadas, mas que estão em fase experimental.

Por último, o Vice-presidente, que já regressou a Luanda, visitou a fazenda agro-pecuária “Tchela Matchati”, implantada numa área de 250 hectares, 75 dos quais destinadas à produção do ananás.

A fazenda está, igualmente, a produzir goiabas melhoradas, num regime experimental, numa área de dois hectares.

Outras valências da fazenda são a produção de limão, banana, abacate, cana-de-açúcar, maracujá, cebola, milho, mandioca, morango e criação de tilápia.

Ainda no município da Chicala-Cholohanga, Bornito de Sousa reuniu-se os membros do Conselho de Auscultação da Comunidade Local, à semelhança do aconteceu no Mungo.

A província do Huambo, possui  uma extensão territorial de 35 mil e 771 quilómetros quadrados e uma população estimada em dois milhões e 500 mil habitantes.

Localizada no Planalto Central de Angola,
a província possui os municípios do Bailundo, da Caála, do Cachiungo, da Chicala-Cholohanga, do Chinjenje, da Ecunha, do Huambo, do Londuimbali, Longonjo, Mungo e Ucuma.

A deslocação do Vice-presidente ao Huambo se quadra nas acções de acompanhamento das acções da Governação Local.