VPR aborda acção dos taxistas nas comunidades

  • Vice-presidente da República, Bornito de Sousa (à dir.), recebe em audiência líder da Associação Nova Aliança dos Taxistas de Angola
Luanda - O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, recebeu, quarta-feira, o líder da Associação Nova Aliança dos Taxistas de Angola (A-NATA), Francisco Paciência, com quem analisou a realidade quotidiana dos mais de 20 mil associados.

À saída da audiência, Francisco Paciência mostrou-se satisfeito com mais este gesto do Executivo liderado pelo Presidente João Lourenço, e manifestou-se “esperançoso em dias melhores” para esta franja da sociedade, na sua maioria jovens, que diariamente dedicam-se ao transporte de passageiros, apesar de inúmeras dificuldades.

Francisco Paciência afirmou que existe da parte da A-Nata o “desejo inequívoco de colaborar” com as autoridades, no sentido de se melhorar o desempenho profissional e as condições sociais  dos taxistas, por um lado, e gerar receitas para o Estado, por via de impostos e de taxas, por outro.

Entre as sugestões apresentadas, destacou a profissionalização dos taxistas, com direito à carteira profissional, e inclusão no sistema de protecção social, bem como a criação de um órgão, que poderá denominar-se Câmara Nacional dos Taxistas.

A criação, por parte do Executivo, de mecanismos que obriguem todo o cidadão que pretenda dedicar-se, a título profissional, ao transporte de passageiros a filiar-se numa associação da classe, também foi uma das sugestões apresentadas ao Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa.

À saída da audiência, Francisco Paciência mostrou-se satisfeito com mais este gesto do Executivo liderado pelo Presidente João Lourenço, e manifestou-se “esperançoso em dias melhores” para esta franja da sociedade, na sua maioria jovens, que diariamente dedicam-se ao transporte de passageiros, apesar de inúmeras dificuldades.

Francisco Paciência afirmou que existe da parte da A-Nata o “desejo inequívoco de colaborar” com as autoridades, no sentido de se melhorar o desempenho profissional e as condições sociais  dos taxistas, por um lado, e gerar receitas para o Estado, por via de impostos e de taxas, por outro.

Entre as sugestões apresentadas, destacou a profissionalização dos taxistas, com direito à carteira profissional, e inclusão no sistema de protecção social, bem como a criação de um órgão, que poderá denominar-se Câmara Nacional dos Taxistas.

A criação, por parte do Executivo, de mecanismos que obriguem todo o cidadão que pretenda dedicar-se, a título profissional, ao transporte de passageiros a filiar-se numa associação da classe, também foi uma das sugestões apresentadas ao Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa.