INAD destrói 174 engenhos explosivos no Zaire

  • Exposição de alguns engenhos explosivos(Foto ilustração)
Mbanza Kongo – Cento e 74 engenhos explosivos não detonados foram removidos e destruídos, de Janeiro a Junho do corrente ano, na província do Zaire, mais 39 em relação a igual período de 2020.

O chefe do departamento provincial do Instituto Nacional de Desminagem (INAD), David Sapalalo Ndue, disse esta terça-feira, à Angop, que, durante o período em referência, foram limpos 12 mil 224 metros quadrados de superfície.

Destacou a remoção de 106 engenhos explosivos não detonados, encontrados no bairro Sagrada Esperança, na cidade de Mbanza Kongo, num espaço que serviu de paiol das extintas Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA).

Avançou que, do material destruído destacam-se morteiros de 82 e 86 milímetros, assim como roquetes B10 e de RPG7.

Durante o primeiro semestre de 2021, o INAD sensibilizou duas mil 368 pessoas sobre o risco de minas, entre crianças e adultos.

Entre as acções futuras, enumerou a conclusão da desminagem das áreas onde serão erguidos o pólo de desenvolvimento industrial, a refinaria do Soyo e um parque de estacionamento, na comuna do Luvo (município de Mbanza Kongo).

O trabalho vai estender-se ao recinto onde serão construídas as instalações da Sonagás, no Soyo, incluindo a linha onde passará o gasoduto.

“Pretendemos também desminar a zona agrícola, localizada na margem esquerda do rio Lunda, e vamos continuar a sensibilizar a população sobre o risco de minas”, concluiu.

O chefe do departamento provincial do Instituto Nacional de Desminagem (INAD), David Sapalalo Ndue, disse esta terça-feira, à Angop, que, durante o período em referência, foram limpos 12 mil 224 metros quadrados de superfície.

Destacou a remoção de 106 engenhos explosivos não detonados, encontrados no bairro Sagrada Esperança, na cidade de Mbanza Kongo, num espaço que serviu de paiol das extintas Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA).

Avançou que, do material destruído destacam-se morteiros de 82 e 86 milímetros, assim como roquetes B10 e de RPG7.

Durante o primeiro semestre de 2021, o INAD sensibilizou duas mil 368 pessoas sobre o risco de minas, entre crianças e adultos.

Entre as acções futuras, enumerou a conclusão da desminagem das áreas onde serão erguidos o pólo de desenvolvimento industrial, a refinaria do Soyo e um parque de estacionamento, na comuna do Luvo (município de Mbanza Kongo).

O trabalho vai estender-se ao recinto onde serão construídas as instalações da Sonagás, no Soyo, incluindo a linha onde passará o gasoduto.

“Pretendemos também desminar a zona agrícola, localizada na margem esquerda do rio Lunda, e vamos continuar a sensibilizar a população sobre o risco de minas”, concluiu.