4 de Fevereiro: Síntese Nacional

Luanda – Angola celebrou, nesta quinta-feira (dia 4 de Fevereiro), os 60 anos do Início da Luta Armada de Libertação Nacional, com a realização de várias actividades nas 18 províncias do pais, com realce para o Acto Central, na província do Bengo, presidido pelo ministro da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria, João Ernesto dos Santos.

Na ocasião, e na presença da governadora provincial, Mara Quiosa, o governante frisou que a estabilidade política de Angola permitiu iniciar um período com níveis de crescimento económico, com resultados positivos em áreas dissociadas do Petróleo, permitindo a reconstrução de infra-estruturas ao serviço da economia.

Presentes igualmente na cerimónia, antigos combatentes e veteranos da pátria solicitaram aumento substancial do valor da sua pensão, fixada actualmente em 23 mil Kwanzas, tendo em conta o custo de vida no país nos últimos seis anos.

Numa mensagem lida por Domingos António Jacinto, a propósito da efeméride, esse grupo social informou que enfrenta dificuldades de várias naturezas, pelo que solicita, entre outras condições, a construção e atribuição de casas sociais e kits de trabalho,  redução da burocracia para os processos de recenseamento e sua homologação

Nesta parte de Angola, paralelo ao Acto Central das celebrações do 4 de Fevereiro, foram inauguradas diversas infra-estruturas, com destaque para o novo Banco de Urgência do Hospital Provincial e de uma escola do ensino primário, com nove salas de aulas, na comuna de Canacassala, município de Nambuangongo.

Huambo

Ao discursar no acto provincial,  a governadora do Humbo, Lotti Nolika, reconheceu o espírito de entrega dos angolanos na luta pela liberdade, sublinhando que a data resultou de um amplo movimento de libertação, com a participação de todos quanto quisessem contribuir para emancipação do povo angolano.

Lotti Nolika realçou que a revolta do 4 de Fevereiro de 1961 marcou o grito do povo angolano contra a colonização portuguesa e para a sua auto-determinação, um direito que lhe era sistematicamente negado, e que obrigou a  entrega de todos, independentemente da raça, opção religiosa, sexo, etnia ou língua.

Ao terminal a acividade, brindou os antigos combatentes com Mensões Honrosas.

Cabinda

Nesta parcela pais ao Norte de Angola, o dia memorável ao Início da Luta Armada de Libertação Nacional ficou marcada com inauguração do Centro de Acolhimento Familiar de Santa Catarina, na localidade com o mesmo nome, como a primeira aberta ao público no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios.

O corte da fita da referida unidade (orçada em 31 milhões e 705 mil e 101 kwanzas) coube ao governador Marcos Nhunga, que destacou a importância do Centro, visto que permitirá resolver algumas das preocupações da população, sobretudo as que têm a ver com os conflitos familiares. A obra durou sete meses, tendo iniciado em Julho.

Cuanza Sul

Para assinalar a data, o governador provincial, Job Capapinha,  entregou, na Aldeia de Banza Mussende, no município de Cela, máquinas agrícolas (tractor e suas alfaias, enxadas, moto bomba) e 100 hectares de terras aráveis a pelo menos 10 jovens inscritos no projecto "AGRIJOVEM”.

Ao anteceder a entrega dos equipamentos agrícolas, no acto político em alusão ao 4 e Fevereiro, o governador apelou ao patriotismo, a solidariedade e o amor ao próximo,  salientando que só assim se poderá construir uma Angola que orgulha a todos".

Cuando Cubango

A capital provincial do Cuando Cubango (Menongue) foi o palco das celebrações dessa efeméride, tendo o governador em exercício do Cuando Cubango, Afonso de Antas Miguel, considerado o 4 de Fevereiro de exemplo ímpar de patriotismo, de amor à pátria e de coragem de muitos dos melhores filhos de Angola.

no acto simbólico dos 60 anos do Dia do Início da Luta Armada de Libertação Nacional.

Conforme o administrador público, fruto da paz alcançada em 2002, hoje são visíveis os resultados do processo de reconstrução nacional, rumo ao desenvolvimento económico e social, com vista a superação das consequências da guerra e preservação da independência, da soberania e a integridade da Pátria.

Lunda Norte

Após a deposição de uma coroa de flores à estatua do primeiro presidente de Angola, António Agostinho Neto, o governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, apelou a população a continuar a preservar conquistas como a independência e a paz, e reforçar a coesão e reconciliação nacional, para a contínua construção de uma Angola cada vez melhor.

“É altura de os angolanos estarem cada vez mais unidos, colocando-se à disposição do Estado para contribuírem com o seu saber no processo de desenvolvimento socioeconómico do país e da província em particular”, aconselhou pedindo respeito pelos órgãos de soberania e a preservação da integridade territorial.

Em virtude da recente rebelião perpetrada pelo designado grupo “Protectorado da Lunda Tchokwé”, Ernesto Muangala condenou, na ocasião, actos de vandalismo, arruaça, entre outros, que colocam em causa a paz social.

Moxico

Neste ponto mais ao Leste de Angola, o vice-governador para os sectores Político, Económico e Social, Victor da Silva, afirmou, no Luena, que os acontecimentos que marcaram o início da luta armada em Angola devem constituir uma verdadeira herança para a actual geração, de modo a se consolidar o patriotismo e a unidade nacional.

O governante sublinhou que a saída da situação de pobreza que muitas famílias vivem, assim como o combate à pandemia da Covid-19 continuam a ser os principais desafios do executivo angolano, com vista a se honrarem os feitos de todos quanto lutaram para a independência nacional.

Luanda Sul

A criação de condições básicas como energia, água, saúde e educação, para os descendentes, filhos e antigos guerrilheiros do 4 de Fevereiro, continuarão a ser prioridades do Governo da Lunda Sul, que paulatinamente já vem execuntando tal tarefa para dar melhor dignidade a estes grupos.

No Acto Central Provincial, decorrido em Saurimo, o governador, Daniel Neto sublinhou que outro projecto em carteira tem a ver com a catalogação dos guerrilheiros, para saber onde estão e quantos são, para que os programas atinjam directamente a eles, além da criação de cooperativas para o seu empoderamento. 

Condenou igualmente os acontecimentos ocorridos em Cafunfo (Lunda Norte), apelando mais diálogo, para se encontrar as soluções saudáveis e não por violência. Entretanto, lamentou as mortes sucedidas, e exortou os jovens a beberem mais dos mais velhos sobre o 4 de Fevereiro, para a manutenção da história.

Bié

Nesta província do Centro-Sul de Angola, foram inauguração de duas escolas, de 12 salas de aulas cada, no âmbito das festividades do 60º aniversário do Início da Luta de Libertação Nacional, sendo uma no município de Camacupa, para albergar duas mil crianças, e a outra em Catabola, com capacidade para mil e 500 alunos. 

O governador Pereira Alfredo dirigiu o acto político local, no quadro das comemorações da efeméride, justamente em Camacupa. O responsável aproveitou o momento para entregar cinco motorizadas às distintas Direcções da Administração,  uma ambulância,  quatro tractores para recolha de resíduos sólidos e meios de biossegurança.

Benguela

 Em Catumbela, o Governador de Benguela, Rui Falcão, considerou o 4 de Fevereiro de 1961 de “marco importante”, na luta pela auto-determinação e independência do país, em declarações à imprensa, após depositar uma coroa de flores em memória dos heróis tombados em defesa da pátria, no Cemitério Municipal.

 “O 4 de Fevereiro visou despertar a consciência nacional para a necessidade de se pôr fim ao sistema colonial português. Foi graças aos factos deste dia que os angolanos conseguiram alcançar tão rápidamente a independência, a 11 de Novembro de 1975, depois de várias tentativas de diálogo com o regime colonial”, descreveu.

Malanje

Nessa circunscrição, o governador provincial, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa” entregou, no município de Kiwaba Nzoji, kits de pequenos negócios a dez antigos combatentes, para a geração de rendas e subsistência alimentar, com destaque para utensílios de serralharia, motorizadas e meios para o comércio e a agricultura.

“Este processo de apoio aos ex-militantes será contínuo em prol do reconhecimento e satisfação  das necessidades daqueles que lutaram para a liberdade e independência do país, apesar de hoje terem sido seleccionados os mais necessitados”, adiantou.

Por outro lado, o governador pediu aos jovens maior respeito pelas instituições do Estado e pela figura dos nacionalistas, como forma de honrá-los. De seguida, inaugurou, no município de Kiwaba Nzoji, uma casa T7 para os trabalhadores da direcção municipal da saúde e entregou motorizadas a funcionários do secor.

Zaire

Como capital provincial e cidade Património Histórico da Humanidade, Mbanza Kongo foi contemplado, neste dia festivo, com  lançamento de um projecto de terraplanagem em pelo menos quinze quilómetros das vias do interior dos seus bairros, nos próximos 12 meses, no âmbito do PIIM. 

O prospecto para o efeito foi apresentado pelo governador Pedro Makita Armando Júlia, adiantando que, neste processo, 18 troços serão intervencionados pela empresa TEA, que venceu o concurso público, com um custo acima de mil milhão e 500 milhões de kwanzas. 

Ainda no âmbito do 04 de fevereiro, o governador procedeu a entrega das chaves de onze autocarros a quatro empresas vencedoras do concurso público para a alocação destes meios adquiridos pelo executivo. 

Os contemplados, dos municípios de Mbanza Kongo e Soyo, deverão desembolsar o valor avaliado em mais de 58 milhões de KZ ao Estado, durante 10 anos, a razão de cerca de 450 mil kz por mês. Os autocarros vão cobrir as rotas urbanas e intermunicipais. 

Cuanza Norte

A data teve como ponto alto, a inauguração de um complexo escolar de sete salas de aulas, na localidade de Cassoalala, município de Cambambe, pelo governador Adriano Mendes de carvalho, com capacidade para albergar 735 alunos em três turnos. O mesmo está baptizado como "Escola Miguel Francisco".

Orçado em 647 mil dólares, o empreendimento erguido de raiz, foi patrocinado pelo Bloco Petrolífero 18 (BP- Angola) e a Agência Nacional de Petróleo e Gás (ANPG), no âmbito das suas responsabilidades sociais, e homenageia um catequista da igreja Católica e professor que se notabilizou pelo ensino gratuito, na comunidade, de 1995 a 2004, antes de falecer por doença.

Com a inauguração desta escola, eleva- se para três o número de infra-estrutruras similares nesta comunidade, habitada por mais de 8 mil pessoas, sendo uma do ensino primário, tutelada pela comunidade Metodista e outra pela Igreja Católica, em regime de comparticipação, para alunos do ensino primário ao primeiro ciclo.

Luanda

Na capital do país, o ministro do Interior, Eugénio Laborinho, homenageou, os heróis do início da Luta Armada de Libertação de Angola, com a deposição de uma coroa de flores no túmulo do soldado desconhecido.

O acto foi antecedido com o içar da Bandeira Monumento, no Museu de História Militar, na presença da Governadora de Luanda, Joana Lina, para quem é necessário os heróis serem honrados, homenageados e sempre lembrados, por derramaram o sangue pela independência de Angola.

Após depositar a coroa de flores no túmulo do soldado desconhecido, o ministro do Interior assinou o livro de condolências, onde destacou a honra e a glória dos heróis do 4 de Fevereiro, hoje efusivamente celebrado em todo o país

Reza a história que, a 4 de Fevereiro de 1961, patriotas angolanos desencadearam um ataque à Cadeia de São Paulo e à Casa de Reclusão, em Luanda, dando início à Luta Armada de Libertação Nacional, que culminou com a proclamação da Independência deste Estado africano, a 11 de Novembro de 1975. 

As comemorações deste ano, afectadas pela pandemia da Covid-19, decorreram sob o lema" preservar e honrar a memoria dos heróis da pátria angolana".

Na ocasião, e na presença da governadora provincial, Mara Quiosa, o governante frisou que a estabilidade política de Angola permitiu iniciar um período com níveis de crescimento económico, com resultados positivos em áreas dissociadas do Petróleo, permitindo a reconstrução de infra-estruturas ao serviço da economia.

Presentes igualmente na cerimónia, antigos combatentes e veteranos da pátria solicitaram aumento substancial do valor da sua pensão, fixada actualmente em 23 mil Kwanzas, tendo em conta o custo de vida no país nos últimos seis anos.

Numa mensagem lida por Domingos António Jacinto, a propósito da efeméride, esse grupo social informou que enfrenta dificuldades de várias naturezas, pelo que solicita, entre outras condições, a construção e atribuição de casas sociais e kits de trabalho,  redução da burocracia para os processos de recenseamento e sua homologação

Nesta parte de Angola, paralelo ao Acto Central das celebrações do 4 de Fevereiro, foram inauguradas diversas infra-estruturas, com destaque para o novo Banco de Urgência do Hospital Provincial e de uma escola do ensino primário, com nove salas de aulas, na comuna de Canacassala, município de Nambuangongo.

Huambo

Ao discursar no acto provincial,  a governadora do Humbo, Lotti Nolika, reconheceu o espírito de entrega dos angolanos na luta pela liberdade, sublinhando que a data resultou de um amplo movimento de libertação, com a participação de todos quanto quisessem contribuir para emancipação do povo angolano.

Lotti Nolika realçou que a revolta do 4 de Fevereiro de 1961 marcou o grito do povo angolano contra a colonização portuguesa e para a sua auto-determinação, um direito que lhe era sistematicamente negado, e que obrigou a  entrega de todos, independentemente da raça, opção religiosa, sexo, etnia ou língua.

Ao terminal a acividade, brindou os antigos combatentes com Mensões Honrosas.

Cabinda

Nesta parcela pais ao Norte de Angola, o dia memorável ao Início da Luta Armada de Libertação Nacional ficou marcada com inauguração do Centro de Acolhimento Familiar de Santa Catarina, na localidade com o mesmo nome, como a primeira aberta ao público no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios.

O corte da fita da referida unidade (orçada em 31 milhões e 705 mil e 101 kwanzas) coube ao governador Marcos Nhunga, que destacou a importância do Centro, visto que permitirá resolver algumas das preocupações da população, sobretudo as que têm a ver com os conflitos familiares. A obra durou sete meses, tendo iniciado em Julho.

Cuanza Sul

Para assinalar a data, o governador provincial, Job Capapinha,  entregou, na Aldeia de Banza Mussende, no município de Cela, máquinas agrícolas (tractor e suas alfaias, enxadas, moto bomba) e 100 hectares de terras aráveis a pelo menos 10 jovens inscritos no projecto "AGRIJOVEM”.

Ao anteceder a entrega dos equipamentos agrícolas, no acto político em alusão ao 4 e Fevereiro, o governador apelou ao patriotismo, a solidariedade e o amor ao próximo,  salientando que só assim se poderá construir uma Angola que orgulha a todos".

Cuando Cubango

A capital provincial do Cuando Cubango (Menongue) foi o palco das celebrações dessa efeméride, tendo o governador em exercício do Cuando Cubango, Afonso de Antas Miguel, considerado o 4 de Fevereiro de exemplo ímpar de patriotismo, de amor à pátria e de coragem de muitos dos melhores filhos de Angola.

no acto simbólico dos 60 anos do Dia do Início da Luta Armada de Libertação Nacional.

Conforme o administrador público, fruto da paz alcançada em 2002, hoje são visíveis os resultados do processo de reconstrução nacional, rumo ao desenvolvimento económico e social, com vista a superação das consequências da guerra e preservação da independência, da soberania e a integridade da Pátria.

Lunda Norte

Após a deposição de uma coroa de flores à estatua do primeiro presidente de Angola, António Agostinho Neto, o governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, apelou a população a continuar a preservar conquistas como a independência e a paz, e reforçar a coesão e reconciliação nacional, para a contínua construção de uma Angola cada vez melhor.

“É altura de os angolanos estarem cada vez mais unidos, colocando-se à disposição do Estado para contribuírem com o seu saber no processo de desenvolvimento socioeconómico do país e da província em particular”, aconselhou pedindo respeito pelos órgãos de soberania e a preservação da integridade territorial.

Em virtude da recente rebelião perpetrada pelo designado grupo “Protectorado da Lunda Tchokwé”, Ernesto Muangala condenou, na ocasião, actos de vandalismo, arruaça, entre outros, que colocam em causa a paz social.

Moxico

Neste ponto mais ao Leste de Angola, o vice-governador para os sectores Político, Económico e Social, Victor da Silva, afirmou, no Luena, que os acontecimentos que marcaram o início da luta armada em Angola devem constituir uma verdadeira herança para a actual geração, de modo a se consolidar o patriotismo e a unidade nacional.

O governante sublinhou que a saída da situação de pobreza que muitas famílias vivem, assim como o combate à pandemia da Covid-19 continuam a ser os principais desafios do executivo angolano, com vista a se honrarem os feitos de todos quanto lutaram para a independência nacional.

Luanda Sul

A criação de condições básicas como energia, água, saúde e educação, para os descendentes, filhos e antigos guerrilheiros do 4 de Fevereiro, continuarão a ser prioridades do Governo da Lunda Sul, que paulatinamente já vem execuntando tal tarefa para dar melhor dignidade a estes grupos.

No Acto Central Provincial, decorrido em Saurimo, o governador, Daniel Neto sublinhou que outro projecto em carteira tem a ver com a catalogação dos guerrilheiros, para saber onde estão e quantos são, para que os programas atinjam directamente a eles, além da criação de cooperativas para o seu empoderamento. 

Condenou igualmente os acontecimentos ocorridos em Cafunfo (Lunda Norte), apelando mais diálogo, para se encontrar as soluções saudáveis e não por violência. Entretanto, lamentou as mortes sucedidas, e exortou os jovens a beberem mais dos mais velhos sobre o 4 de Fevereiro, para a manutenção da história.

Bié

Nesta província do Centro-Sul de Angola, foram inauguração de duas escolas, de 12 salas de aulas cada, no âmbito das festividades do 60º aniversário do Início da Luta de Libertação Nacional, sendo uma no município de Camacupa, para albergar duas mil crianças, e a outra em Catabola, com capacidade para mil e 500 alunos. 

O governador Pereira Alfredo dirigiu o acto político local, no quadro das comemorações da efeméride, justamente em Camacupa. O responsável aproveitou o momento para entregar cinco motorizadas às distintas Direcções da Administração,  uma ambulância,  quatro tractores para recolha de resíduos sólidos e meios de biossegurança.

Benguela

 Em Catumbela, o Governador de Benguela, Rui Falcão, considerou o 4 de Fevereiro de 1961 de “marco importante”, na luta pela auto-determinação e independência do país, em declarações à imprensa, após depositar uma coroa de flores em memória dos heróis tombados em defesa da pátria, no Cemitério Municipal.

 “O 4 de Fevereiro visou despertar a consciência nacional para a necessidade de se pôr fim ao sistema colonial português. Foi graças aos factos deste dia que os angolanos conseguiram alcançar tão rápidamente a independência, a 11 de Novembro de 1975, depois de várias tentativas de diálogo com o regime colonial”, descreveu.

Malanje

Nessa circunscrição, o governador provincial, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa” entregou, no município de Kiwaba Nzoji, kits de pequenos negócios a dez antigos combatentes, para a geração de rendas e subsistência alimentar, com destaque para utensílios de serralharia, motorizadas e meios para o comércio e a agricultura.

“Este processo de apoio aos ex-militantes será contínuo em prol do reconhecimento e satisfação  das necessidades daqueles que lutaram para a liberdade e independência do país, apesar de hoje terem sido seleccionados os mais necessitados”, adiantou.

Por outro lado, o governador pediu aos jovens maior respeito pelas instituições do Estado e pela figura dos nacionalistas, como forma de honrá-los. De seguida, inaugurou, no município de Kiwaba Nzoji, uma casa T7 para os trabalhadores da direcção municipal da saúde e entregou motorizadas a funcionários do secor.

Zaire

Como capital provincial e cidade Património Histórico da Humanidade, Mbanza Kongo foi contemplado, neste dia festivo, com  lançamento de um projecto de terraplanagem em pelo menos quinze quilómetros das vias do interior dos seus bairros, nos próximos 12 meses, no âmbito do PIIM. 

O prospecto para o efeito foi apresentado pelo governador Pedro Makita Armando Júlia, adiantando que, neste processo, 18 troços serão intervencionados pela empresa TEA, que venceu o concurso público, com um custo acima de mil milhão e 500 milhões de kwanzas. 

Ainda no âmbito do 04 de fevereiro, o governador procedeu a entrega das chaves de onze autocarros a quatro empresas vencedoras do concurso público para a alocação destes meios adquiridos pelo executivo. 

Os contemplados, dos municípios de Mbanza Kongo e Soyo, deverão desembolsar o valor avaliado em mais de 58 milhões de KZ ao Estado, durante 10 anos, a razão de cerca de 450 mil kz por mês. Os autocarros vão cobrir as rotas urbanas e intermunicipais. 

Cuanza Norte

A data teve como ponto alto, a inauguração de um complexo escolar de sete salas de aulas, na localidade de Cassoalala, município de Cambambe, pelo governador Adriano Mendes de carvalho, com capacidade para albergar 735 alunos em três turnos. O mesmo está baptizado como "Escola Miguel Francisco".

Orçado em 647 mil dólares, o empreendimento erguido de raiz, foi patrocinado pelo Bloco Petrolífero 18 (BP- Angola) e a Agência Nacional de Petróleo e Gás (ANPG), no âmbito das suas responsabilidades sociais, e homenageia um catequista da igreja Católica e professor que se notabilizou pelo ensino gratuito, na comunidade, de 1995 a 2004, antes de falecer por doença.

Com a inauguração desta escola, eleva- se para três o número de infra-estrutruras similares nesta comunidade, habitada por mais de 8 mil pessoas, sendo uma do ensino primário, tutelada pela comunidade Metodista e outra pela Igreja Católica, em regime de comparticipação, para alunos do ensino primário ao primeiro ciclo.

Luanda

Na capital do país, o ministro do Interior, Eugénio Laborinho, homenageou, os heróis do início da Luta Armada de Libertação de Angola, com a deposição de uma coroa de flores no túmulo do soldado desconhecido.

O acto foi antecedido com o içar da Bandeira Monumento, no Museu de História Militar, na presença da Governadora de Luanda, Joana Lina, para quem é necessário os heróis serem honrados, homenageados e sempre lembrados, por derramaram o sangue pela independência de Angola.

Após depositar a coroa de flores no túmulo do soldado desconhecido, o ministro do Interior assinou o livro de condolências, onde destacou a honra e a glória dos heróis do 4 de Fevereiro, hoje efusivamente celebrado em todo o país

Reza a história que, a 4 de Fevereiro de 1961, patriotas angolanos desencadearam um ataque à Cadeia de São Paulo e à Casa de Reclusão, em Luanda, dando início à Luta Armada de Libertação Nacional, que culminou com a proclamação da Independência deste Estado africano, a 11 de Novembro de 1975. 

As comemorações deste ano, afectadas pela pandemia da Covid-19, decorreram sob o lema" preservar e honrar a memoria dos heróis da pátria angolana".