Covid-19: Síntese Nacional

Luanda- As autoridades sanitárias reportaram, até às 19 horas desta quarta-feira, 45 novos casos, 204 pacientes recuperados e sete óbitos.

Com o registo dos sete óbitos, Angola soma o maior número diário de mortes desde o início da pandemia. Entre as vítimas mortais, seis cidadãos são angolanos e um chinês, sendo que três  ocorreram na Lunda Norte, um no Huambo, Malanje, Zaire e Luanda, respectivamente. 

Uma criança de um ano de vida consta da estatística dos novos recuperados, sendo que 117 pacientes estão em Luanda, 30 do Cunene, 23 do Moxico, 16 do Huambo, 12 de Benguela, cinco da Lunda Sul e um no Uíge.

Quanto aos novos casos, 36 foram examinados em Luanda, quatro na Lunda Norte, um na Lunda Sul, Bié e Cabinda contam com dois casos cada.

Entre os infectados, 30 são homens e 15 mulheres, na faixa etária dos sete aos 76 anos.

Os  laboratórios processaram 1.479 amostras na base da biologia molecular, das quais 45 foram positivas e 1.443 negativas, com uma taxa diária de positividade de 96,6 por cento.

No mesmo período, 127 amostras rápidas por antígenio foram processadas, das quais nove  positivas e 118 negativas, com uma taxa de positividade de 7,1 por cento.

Nos centros de quarentena institucional estão 321 pessoas e a província do Bié foi a única que registou uma alta nas últimas 24 horas.

Em vigilância epidemiológica estão 4.227 pessoas e 59 famílias foram assistidas pela Equipa de Saúde Mental e Intervenção Psico-social.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 81 chamadas de pedidos de informação sobre a Covid-19.

As autoridades sanitárias seguem 204 doentes internados nos centros de tratamento do país.

Angola contabiliza 16.407 casos positivos, 379 óbitos, 9.194 recuperados e 6.834 activos.

Dos activos, seis estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, cinco graves, 81 moderados, 137 com sintomas leves e 6.605 assintomáticos.

Com o registo dos sete óbitos, Angola soma o maior número diário de mortes desde o início da pandemia. Entre as vítimas mortais, seis cidadãos são angolanos e um chinês, sendo que três  ocorreram na Lunda Norte, um no Huambo, Malanje, Zaire e Luanda, respectivamente. 

Uma criança de um ano de vida consta da estatística dos novos recuperados, sendo que 117 pacientes estão em Luanda, 30 do Cunene, 23 do Moxico, 16 do Huambo, 12 de Benguela, cinco da Lunda Sul e um no Uíge.

Quanto aos novos casos, 36 foram examinados em Luanda, quatro na Lunda Norte, um na Lunda Sul, Bié e Cabinda contam com dois casos cada.

Entre os infectados, 30 são homens e 15 mulheres, na faixa etária dos sete aos 76 anos.

Os  laboratórios processaram 1.479 amostras na base da biologia molecular, das quais 45 foram positivas e 1.443 negativas, com uma taxa diária de positividade de 96,6 por cento.

No mesmo período, 127 amostras rápidas por antígenio foram processadas, das quais nove  positivas e 118 negativas, com uma taxa de positividade de 7,1 por cento.

Nos centros de quarentena institucional estão 321 pessoas e a província do Bié foi a única que registou uma alta nas últimas 24 horas.

Em vigilância epidemiológica estão 4.227 pessoas e 59 famílias foram assistidas pela Equipa de Saúde Mental e Intervenção Psico-social.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 81 chamadas de pedidos de informação sobre a Covid-19.

As autoridades sanitárias seguem 204 doentes internados nos centros de tratamento do país.

Angola contabiliza 16.407 casos positivos, 379 óbitos, 9.194 recuperados e 6.834 activos.

Dos activos, seis estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, cinco graves, 81 moderados, 137 com sintomas leves e 6.605 assintomáticos.