Administração da segunda dose da Sputnik retoma quarta-feira

  • Vacinadores em posto de vacinação
Luanda – A directora Nacional de Saúde Pública, Helga Freitas, informou, esta terça-feira, em Luanda, que a administração da segunda dose da Sputnik retorna está quarta-feira, 28.

Falando à margem da reunião da Comissão Multissectorial de Prevenção e Combate à Covid-19, a responsável disse que terá lugar nos postos de vacinação do Paz Flor e da Cidadela Desportiva.

Helga Freitas informou que, neste momento, 23 mil cidadãos estão também sem receber a segunda das vacinas Astrazeneca, Pfizer, Sinopharm.

Destes, duas mil pessoas ainda não receberam a segunda dose da Pfizer, 17 mil da Astrazeneca e quatro mil da Sinopharm.

Segundo a responsável, Angola espera receber, em Agosto, 728 mil 640 doses da Astrazeneca, para completar a segunda dose e inicio da primeira, e 400 mil doses da Pfizer, numa oferta dos Estados Unidos.

Explicou que o Governo vai adquirir 10 milhões 342 mil e 600 doses de vacinas para cobrir cerca de nove milhões de pessoas da segunda fase do cronograma, de um esforço de cerca 105 milhões dólares.

Reforçou estar suspensa a administração da primeira dose das vacinas para se terminar a primeira fase desse processo, por questões logísticas, pelo prazo de duração das vacinas que têm tempo curto e para se iniciar, em Agosto, a primeira dose de uma nova fase.

Actualmente, estão vacinados, no país, 1.654.747 de cidadãos, sendo que 968.200 receberam a primeira dose e 686.547 a segunda.

Helga Freitas aponta para uma cobertura de 4.3 por cento da segunda dose, de uma população de cerca de 15 milhões de habitantes.

Conforme a responsável, para a continuidade desse processo, está em fase de aprovação o projecto do Banco Mundial, de um empréstimo ao Governo angolano de 150 milhões de dólares americanos, dos quais 90 milhões dólares se destinam a compra de vacinas.

A responsável acrescentou também a planificação de compra de vacina através da Covax, para os cidadãos menores de 18 anos, apoiado pelo Banco Mundial, com um custo de 15 milhões de dólares.

As autoridades vão também reforçar a cadeia de frio, com instalação de 190 arcas normais e 18 ultra-frios, bem como a capacitação de 164 logísticos municipais.

Falando à margem da reunião da Comissão Multissectorial de Prevenção e Combate à Covid-19, a responsável disse que terá lugar nos postos de vacinação do Paz Flor e da Cidadela Desportiva.

Helga Freitas informou que, neste momento, 23 mil cidadãos estão também sem receber a segunda das vacinas Astrazeneca, Pfizer, Sinopharm.

Destes, duas mil pessoas ainda não receberam a segunda dose da Pfizer, 17 mil da Astrazeneca e quatro mil da Sinopharm.

Segundo a responsável, Angola espera receber, em Agosto, 728 mil 640 doses da Astrazeneca, para completar a segunda dose e inicio da primeira, e 400 mil doses da Pfizer, numa oferta dos Estados Unidos.

Explicou que o Governo vai adquirir 10 milhões 342 mil e 600 doses de vacinas para cobrir cerca de nove milhões de pessoas da segunda fase do cronograma, de um esforço de cerca 105 milhões dólares.

Reforçou estar suspensa a administração da primeira dose das vacinas para se terminar a primeira fase desse processo, por questões logísticas, pelo prazo de duração das vacinas que têm tempo curto e para se iniciar, em Agosto, a primeira dose de uma nova fase.

Actualmente, estão vacinados, no país, 1.654.747 de cidadãos, sendo que 968.200 receberam a primeira dose e 686.547 a segunda.

Helga Freitas aponta para uma cobertura de 4.3 por cento da segunda dose, de uma população de cerca de 15 milhões de habitantes.

Conforme a responsável, para a continuidade desse processo, está em fase de aprovação o projecto do Banco Mundial, de um empréstimo ao Governo angolano de 150 milhões de dólares americanos, dos quais 90 milhões dólares se destinam a compra de vacinas.

A responsável acrescentou também a planificação de compra de vacina através da Covax, para os cidadãos menores de 18 anos, apoiado pelo Banco Mundial, com um custo de 15 milhões de dólares.

As autoridades vão também reforçar a cadeia de frio, com instalação de 190 arcas normais e 18 ultra-frios, bem como a capacitação de 164 logísticos municipais.