Angola agiliza certificação digital da vacina contra Covid-19

  • Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Pereira Furtado
Luanda - A Comissão Multissectorial de Combate e Prevenção à Covid-19 está a agilizar o processo de certificação digital de vacinas contra a Covid-19, como forma de facilitar a identificação dos cidadãos vacinados e com resultado negativo no teste ou recuperado da doença.

Segundo o ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Furtado, que falava à imprensa no final de uma reunião da comissão, apesar de os níveis de vacinação no país serem ainda baixos, as autoridades angolanas tudo fazem para o alcance da meta estabelecida.

Francisco Pereira Furtado avançou que o entrave no processo de vacinação está ligado ao atraso que se regista na chegada de vacinas e na implementação do programa de vacinação em vários pontos.

“Mas, com a retoma do processo, fruto das vacinas recebidas recentemente, haverá condições para melhor se trabalhar na certificação digital da vacina contra a Covid-19”, referiu.

De acordo com o ministro foi criada uma equipa de trabalho para se efectuar um estudo sobre a proposta de reabertura de algumas linhas aéreas, bem como analisar a situação da possível continuação ou alteração da cerca sanitária em Luanda, uma existirem mais seis províncias com casos que se assemelham a capital do país, nomeadamente Uíge, Cabinda, Zaire, Cunene e Cuando Cubango.

Dados da Comissão Multissectorial de Combate e Prevenção Contra à Covid-19, do balanço semanal referente ao período de 13 a 19 de Julho de 2021 apontam a vacinação de um milhão 607 mil e 818cidadãos, sendo 965 mil e 322 com a primeira dose e 642 mil e 496 com a segunda dose.

No que toca aos contactos de casos positivos, estão a ser seguidos dois mil e 387 cidadãos.

Dois mil e 458 encontram-se em quarentena no país, dos quais 108 institucional e dois mil e 350 domiciliar.

No mesmo período, os órgãos de defesa, segurança e ordem interna detiveram 852 cidadãos, sendo 809 por violação de fronteiras, 38 apreensão de equipamentos de som.

Ainda durante o cumprimento das medidas, 34 viaturas foram apreendidas por excesso de lotação e multados 248 cidadãos por não uso da máscara, bem como 28 automobilistas por excesso de lotação.

Das receitas arrecadadas, convertidas em multas por 300 infracções, foram de dois milhões 192 mil e 11 kwanzas.

Segundo o ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Furtado, que falava à imprensa no final de uma reunião da comissão, apesar de os níveis de vacinação no país serem ainda baixos, as autoridades angolanas tudo fazem para o alcance da meta estabelecida.

Francisco Pereira Furtado avançou que o entrave no processo de vacinação está ligado ao atraso que se regista na chegada de vacinas e na implementação do programa de vacinação em vários pontos.

“Mas, com a retoma do processo, fruto das vacinas recebidas recentemente, haverá condições para melhor se trabalhar na certificação digital da vacina contra a Covid-19”, referiu.

De acordo com o ministro foi criada uma equipa de trabalho para se efectuar um estudo sobre a proposta de reabertura de algumas linhas aéreas, bem como analisar a situação da possível continuação ou alteração da cerca sanitária em Luanda, uma existirem mais seis províncias com casos que se assemelham a capital do país, nomeadamente Uíge, Cabinda, Zaire, Cunene e Cuando Cubango.

Dados da Comissão Multissectorial de Combate e Prevenção Contra à Covid-19, do balanço semanal referente ao período de 13 a 19 de Julho de 2021 apontam a vacinação de um milhão 607 mil e 818cidadãos, sendo 965 mil e 322 com a primeira dose e 642 mil e 496 com a segunda dose.

No que toca aos contactos de casos positivos, estão a ser seguidos dois mil e 387 cidadãos.

Dois mil e 458 encontram-se em quarentena no país, dos quais 108 institucional e dois mil e 350 domiciliar.

No mesmo período, os órgãos de defesa, segurança e ordem interna detiveram 852 cidadãos, sendo 809 por violação de fronteiras, 38 apreensão de equipamentos de som.

Ainda durante o cumprimento das medidas, 34 viaturas foram apreendidas por excesso de lotação e multados 248 cidadãos por não uso da máscara, bem como 28 automobilistas por excesso de lotação.

Das receitas arrecadadas, convertidas em multas por 300 infracções, foram de dois milhões 192 mil e 11 kwanzas.