Angola primeiro  país da África Ocidental e Austral a receber vacina da Covid-19

  • Ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, recepciona primeiro lote de  vacinas da Covid-19 em Angola
Luanda - Angola tornou-se, nesta terça-feira, no primeiro país da África Ocidental e Austral  a receber o primeiro lote de vacinas contra a Covid-19 através de iniciativa da Covax, num lote de 624 mil doses.

Com este primeiro lote de vacinas, estimado em cerca de 10 por cento das necessidades da primeira fase da vacinação do país, o Governo vai imunizar os profissionais de saúde, pessoas vulneráveis, doentes com comorbilidades complicadas, professores e outros profissionais da linha da frente.

Segundo a representante da OMS em Angola, Djamila Cabral, a chegada das primeiras vacinas contra a Covid-19 em Angola representa um forte sinal de solidariedade internacional para ajudar a salvar vidas e permitir a recuperação das economias e dos meios de subsistência. 

“Este primeiro passo para a vacinação oferece-nos uma luz no fundo do túnel para a protecção das populações. Precisamos também de continuar a trabalhar em conjunto para reforçar as medidas preventivas de saúde pública contra a Covid-19, melhorando ao mesmo tempo o acesso aos serviços de saúde e tratamentos de qualidade”, disse Djamila Cabral.

Por seu turno, o director Regional da UNICEF para a África Oriental e Austral, Mohamed Fall, afirmou que se trata de uma  ocasião muito  importante para a região, apesar de ser apenas uma tranche inicial de vacinas Covax.

Mohamed Fall avançou que a organização tem-se preparado para este momento, trabalhando em estreita colaboração com todos os parceiros para garantir que estejam em vigor os necessários acordos logísticos e de planeamento.

A iniciativa Covax visa assegurar a distribuição equitativa das vacinas contra a Cvid-19, em todo o mundo.

A entrega de vacinas a Angola faz parte de uma primeira ronda de atribuições da Covax, que continuará nos próximos dias e semanas, a nível mundial e em toda a Região Africana.

Está previsto a entrega de cerca de 2,5 milhões de doses de vacinas AstraZeneca/Oxford a Angola, até meados de 2021.

A iniciativa Covax está a garantir um acesso justo, acessível e equitativo às vacinas contra a Covid-19 aos países mais pobres do mundo, às comunidades mais marginalizadas e às populações mais vulneráveis.  

 

Com este primeiro lote de vacinas, estimado em cerca de 10 por cento das necessidades da primeira fase da vacinação do país, o Governo vai imunizar os profissionais de saúde, pessoas vulneráveis, doentes com comorbilidades complicadas, professores e outros profissionais da linha da frente.

Segundo a representante da OMS em Angola, Djamila Cabral, a chegada das primeiras vacinas contra a Covid-19 em Angola representa um forte sinal de solidariedade internacional para ajudar a salvar vidas e permitir a recuperação das economias e dos meios de subsistência. 

“Este primeiro passo para a vacinação oferece-nos uma luz no fundo do túnel para a protecção das populações. Precisamos também de continuar a trabalhar em conjunto para reforçar as medidas preventivas de saúde pública contra a Covid-19, melhorando ao mesmo tempo o acesso aos serviços de saúde e tratamentos de qualidade”, disse Djamila Cabral.

Por seu turno, o director Regional da UNICEF para a África Oriental e Austral, Mohamed Fall, afirmou que se trata de uma  ocasião muito  importante para a região, apesar de ser apenas uma tranche inicial de vacinas Covax.

Mohamed Fall avançou que a organização tem-se preparado para este momento, trabalhando em estreita colaboração com todos os parceiros para garantir que estejam em vigor os necessários acordos logísticos e de planeamento.

A iniciativa Covax visa assegurar a distribuição equitativa das vacinas contra a Cvid-19, em todo o mundo.

A entrega de vacinas a Angola faz parte de uma primeira ronda de atribuições da Covax, que continuará nos próximos dias e semanas, a nível mundial e em toda a Região Africana.

Está previsto a entrega de cerca de 2,5 milhões de doses de vacinas AstraZeneca/Oxford a Angola, até meados de 2021.

A iniciativa Covax está a garantir um acesso justo, acessível e equitativo às vacinas contra a Covid-19 aos países mais pobres do mundo, às comunidades mais marginalizadas e às populações mais vulneráveis.